Obras de conservação da Casa da Flor começam na segunda-feira (12)

0
32


Após seis anos sem receber ações concretas, a Casa da Flor em São Pedro da Aldeia vai passar por obras de conservação. As intervenções integram os esforços do atual governo em prol da valorização do patrimônio aldeense, além de atender a uma ação civil pública e às recomendações técnicas do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) – Região dos Lagos e do Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (Inepac), que já sinalizavam a urgência da execução de medidas efetivas de conservação preventiva no monumento. Até a conclusão da obra, a visitação à Casa da Flor será suspensa temporariamente. 

A Casa da Flor foi tombada pelo Iphan em setembro de 2016 como Patrimônio Histórico Nacional
Foto:
Bruninho Volotão

Uma visita técnica ao patrimônio foi realizada nesta semana com a presença de representantes da empresa especializada, a Jequitibá Restauro, contratada pela prefeitura para executar a obra, do escritório do Iphan Região dos Lagos e da Secretaria Adjunta de Cultura do município. “É um momento muito especial estarmos, de fato, iniciando esse trabalho tão importante de conservação e valorização desse patrimônio, que é um dos bens culturais mais relevantes do país, sendo comparado à obra do arquiteto catalão Antoni Gaudí. A Casa da Flor sempre foi uma grande preocupação desde o início da nossa gestão e, mesmo antes de sabermos sobre a existência de uma demanda judicial, nos mobilizamos em prol da causa, porque acreditamos na importância dessa obra para a garantia da sobrevivência desse legado artístico em longo prazo”, destacou o secretário adjunto de Cultura, Thiago Marques. 

Espaço recebeu a primeira visita técnica antes do início das obras
Foto:
Bruninho Volotão

Durante a visitação, os profissionais fizeram uma breve vistoria no espaço e conversaram sobre a logística de trabalho, as propostas de intervenção iniciais e as estratégias de monitoramento e manutenção continuada da Casa. Também foi discutida a operacionalização das etapas de execução do projeto de conservação, que vai envolver possíveis condutas de restauro, sob orientação técnica do Iphan, o diagnóstico e mapeamento gráfico de danos, ações de limpeza e higienização, remoção e combate a infestação de cupins e outros organismos, e, simultaneamente, o treinamento de dois servidores municipais para atuarem como conservadores permanentes da Casa da Flor. 

Os profissionais também avaliaram as possíveis patologias na construção do monumento
Foto:
Bruninho Volotão

As intervenções terão início na próxima segunda-feira (12), com a execução do mapeamento fotogramétrico, identificação dos agentes de degradação e de testes preliminares de solubilidade. “Vamos começar, sobretudo, estancando os danos que estão avançando, especialmente as infestações biológicas, e dar início à fase dos testes e a experimentação dos materiais que vamos utilizar, sendo aprovados junto ao Iphan. Nós ficamos muito felizes por saber que essa nova gestão resolveu assumir o compromisso de restaurar a Casa da Flor. Para a gente será um grande desafio, pela especificidade do trabalho, e por envolver também a questão da formação e de passar o conhecimento empiricamente para os servidores do município darem continuidade à conservação, mas acreditamos que todo o trabalho será muito bem-sucedido”, comentou a restauradora e uma das sócias da empresa contratada, Daniela Sergipense. 

Obra arquitetônica é revestida de milhares de partes por meio da técnica de “embrechados”
Foto:
Bruninho Volotão

Investimento em preservação 

A obra é resultado de um investimento municipal de R$ 135.345,20. O projeto vai envolver, ainda, a entrega de um Plano de Conservação Preventiva e Continuada para a Casa da Flor, ao final da obra, contemplando a elaboração de um caderno de orientações técnicas, em conjunto com o Iphan, que vai servir como um Manual de Conservação. Na Casa da Flor, a última obra de recuperação estrutural foi concluída em dezembro de 2014, capitaneada pelo Instituto Casa da Flor e pelo Iphan. 

O projeto de conservação da Casa da Flor inclui o treinamento de dois servidores municipais
Foto:
Bruninho Volotão

“Desde 2012, quando foi aberta a ação civil pública, nós batalhamos por ações conservativas na Casa da Flor. Hoje, com quase 10 anos decorridos, os danos avançaram muito. Se naquele momento já era urgente, hoje é fundamental que ela aconteça. Felizmente, chegamos em um momento em que todos estão mobilizados em função desse tema e de enxergar a importância dessa ação. Essa gestão, em 180 dias, contratou e já vai começar a obra. Em seis meses, a gente já está com a empresa aqui, já estabelecendo data de início”, ressaltou o arquiteto e urbanista do Iphan, Ivo Barreto. 

Intervenções na Casa da Flor terão fiscalização e supervisão técnica do Iphan
Foto:
Bruninho Volotão

Na ocasião, a comitiva foi recebida por Valdevir dos Santos, sobrinho-neto de Gabriel Joaquim dos Santos, criador da Casa da Flor. Depois da morte de Gabriel, em 1985, a Casa passou a ser zelada por Valdevir. “Só tenho a comemorar por essa obra. Eu via as coisas indo embora, se degradando com o tempo, e a esperança estava indo junto, mas agora a nossa esperança cresce de novo. A Casa é uma obra de arte e precisava dessas melhorias”, disse. 

Valdevir, sobrinho-neto do artista Gabriel Joaquim dos Santos, comemorou a obra
Foto:
Bruninho Volotão

Desafio 

Durante a visita, os profissionais destacaram o desafio em implementar ações de conservação rotineiras na Casa da Flor, mantendo a fidelidade às composições, respeitando suas características únicas e a enorme organicidade de sua ornamentação. “Estamos falando de um arranjo artístico único, que a gente não tem muita regra pré-estabelecida ou até pregressa de casos assemelhados. Aqui nós temos uma composição de mosaicos, uma obra revestida de milhares de partes e de vários elementos ornamentais, então estaremos o tempo inteiro dialogando com a restauração, mas sempre com atenção a todas as cautelas que o monumento exige”, pontuou Ivo. 

Obras de conservação vão manter as características compositivas do patrimônio
Foto: Bruninho Volotão

Para dar suporte às ações de conservação, os especialistas em restauro da empresa Jequitibá terão acesso ao acervo iconográfico digitalizado e interativo do Iphan, que contém fotografias de arquivo, documentos e a planta em três dimensões da Casa, obtida através da tecnologia laser scanning. Todas as etapas de obra e as definições dos limites de intervenção contarão com a supervisão do Iphan. 

Etapas da obra vão envolver ações de combate à vegetação invasora e demais infestações orgânicas
Foto:
Bruninho Volotão

Também participaram da visitação o arquiteto e chefe do escritório do Iphan na Região dos Lagos, Felipe Borel, o arquiteto da empresa e responsável técnico pela obra, Leandro Campos, a sócia e restauradora da empresa, Leila Santos, a diretora municipal de Cultura, Giselle Lima, e os servidores municipais Marcio Alexandre Simas e Flávio Rangel. 

Foto: Bruninho Volotão

Até o próximo domingo (11), a Casa da Flor ainda estará aberta à visitação, das 10h às 12h e das 13h às 17h. O espaço fica localizado na Estrada dos Passageiros, nº 232, no bairro Parque Estoril. A partir da segunda-feira (12), o acesso será fechado para visitação pública. 

Casa ficará aberta à visitação até o próximo domingo (11)
Foto:
Bruninho Volotão



Fonte: Prefeitura de São Pedro da Aldeia