Multinacional e universidade da região de Piracicaba criam máscaras com impressoras 3D

    62



    Material será doado para profissionais de saúde que estarão na linha de frente contra a pandemia do novo coronavírus. Parte dos itens será disponibilizada já neste final de semana. Máscara produzida com impressora 3D da Hyundai, em Piracicaba
    Divulgação/ Hyundai
    Uma universidade e uma multinacional da região estão produzindo máscaras com impressoras 3D para auxílio no combate à pandemia do novo coronavírus (Covid-19).
    Em Capivari (SP), o câmpus do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo (IFSP), 200 máscaras estão sendo criada e devem ser doadas até sábado e domingo.
    Para a produção, além de uma impressora 3D, está sendo utilizada uma máquina de corte a laser, ambas pertencentes ao Espaço Maker do câmpus. A ideia de confeccionar os protetores faciais surgiu dos professores Gustavo Rezende, Alexandre Aguado e Mauro Amorim, que, após pesquisas, chegaram às faceshields, um tipo de máscara que oferece maior proteção ao usuário.
    O processo de produção consiste basicamente em imprimir o suporte para a cabeça na impressora 3D e cortar o material plástico que fica na frente do equipamento.
    No momento, as máscaras estão sendo testadas e validadas por engenheiros clínicos e de segurança do trabalho, para que em breve estejam aptas a serem utilizadas por médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e demais profissionais que atuem diretamente no combate ao Coronavírus.
    Processo de impressão de máscara por impressora 3D no IFSP de Capivari
    Divulgação/ IFSP
    Campanha nas redes sociais
    Ao pesquisarem sobre as faceshields, os docentes envolvidos no projeto se depararam com um problema: a falta de alguns materiais para a produção das máscaras. A questão foi resolvida com uma campanha nas redes sociais pedindo a doação desses materiais.
    O professor Gustavo Rezende, coordenador de pesquisa e inovação do câmpus e responsável pela divulgação da iniciativa, conta que a campanha teve bom retorno e mobilizou o empresariado de Capivari, que se disponibilizou a doar os materiais necessários (filamento para impressora 3D, acetato ou PETg para a parte da frente da máscara, saquinhos para embalar, água sanitária e álcool em gel 70 para a esterilização das máscaras).
    Gustavo explica que, conforme o projeto foi ganhando corpo, outros profissionais e servidores se juntaram na empreitada, cada um com sua expertise: estão colaborando Gustavo Bapstitella, Adriana Morais, Alexandre Azevedo, Roberto Muterle , Gislaine Vieira e Flávio Ferraresi.
    Segundo ele, mais pessoas se disponibilizaram a ajudar, mas não foi possível envolver todo mundo, já que o trabalho está sendo realizado em regime de escala, adequando-se às indicações dos órgãos de saúde.
    Um gargalo apontado pelo professor é o fato de a impressora 3D ser lenta, conseguindo produzir apenas duas máscaras a cada quatro horas, o que impede que a produção ganhe escala. Nesse aspecto, ele reforça que se outros câmpus que possuem impressoras a colocarem à disposição, o IFSP conseguirá produzir muito mais equipamentos de proteção individual.
    Máscara produzida por impressora 3D no IFSP de Capivari
    Divulgação/ IFSP
    Da produção de carros à de máscaras
    Em Piracicaba (SP), um lote de até 100 máscaras faciais de acrílico, não descartáveis, será confeccionado pelas impressoras 3D da fábrica da Hyundai para doação a equipes de saúde da cidade. O equipamento prolonga mais de quatro vezes a durabilidade das máscaras descartáveis, que são usadas em conjunto, protegendo melhor os profissionais de saúde
    As máquinas já estão sendo aproveitadas para a confecção de um lote de até 100 máscaras de proteção facial total para uso hospitalar. Essas máscaras, em acrílico e não descartáveis, atuam como uma primeira barreira física, aumentando a vida útil das máscaras cirúrgicas ou respiradores descartáveis que são utilizados em conjunto.
    Com isso, ficam mais bem protegidos olhos, pele, mucosas e vias aéreas dos profissionais de Saúde durante o atendimento aos pacientes. A durabilidade das máscaras descartáveis é prolongada mais de quatro vezes quando estas são usadas em conjunto com a máscara facial de acrílico.
    O projeto das máscaras de proteção facial que estão sendo impressas pela Hyundai vem de um arquivo aberto (open source), disponibilizado globalmente pela fabricante de impressoras 3D PrusaPrinters, da República Checa.
    Em rotina normal de produção, a Hyundai usa suas impressoras para para desenvolver protótipos e ferramentas a serem usados na linha de produção, facilitando o trabalho dos operadores.
    Outras doações
    A multinacional também anunciou a doação de outros itens para equipes da Saúde, Promoção Social e Guarda Civil de Piracicaba;
    Oito automóveis já foram disponibilizados para as secretarias da Saúde e de Assistência Social do município
    1.150 itens de proteção individual, como óculos, luvas e toucas estão sendo doados ao Centro de Referência de Saúde do Trabalhador (Cerest) Piracicaba para uso das equipes de saúde locais
    Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba


    Fonte: Fonte: G1