Jornada da Integração Cabo Frio – África termina neste sábado (17)

0
16


Evento teve início em maio com a presença de representantes de Angola e Cabo Verde

Depois de quase dois meses de diversificada atividade educacional, cultural e histórica pela promoção da igualdade racial, termina neste sábado (17) a I Jornada de Integração Cabo Frio – África. A programação de encerramento será com um encontro literário promovido às 16h nas redes sociais da Prefeitura de Cabo Frio.

Realizada pela Prefeitura, a programação foi aberta no dia 24 de maio com a presença do prefeito José Bonifácio, do cônsul de Angola, Mateus de Sá Miranda, e do cônsul-geral honorário de Cabo Verde, Pedro Antônio dos Santos. Na ocasião houve hasteamento das bandeiras do Brasil e dos dois países africanos na Praça Tiradentes, em frente à sede do Poder Executivo cabo-friense.

Anfitrião do evento, o prefeito de Cabo Frio destaca a importância histórica do continente africano e relembra o início das tratativas para estreitar os laços junto aos países irmãos.

“A dívida do nosso país com a população negra, que foi retirada do seu território, é imensa. Com este evento, iniciamos a construção do resgate cultural, educacional e histórico em Cabo Frio. Temos um governo que conta com quase 40% de negros no primeiro escalão, mas a responsabilidade de mudar o cenário de oportunidades é de cada um de nós. Essa é uma luta para recolocar na história aqueles que realmente construíram esse país”, afirma o prefeito de Cabo Frio, orgulhoso com a realização da Jornada.

O cônsul angolano agradece as palavras e lembra que, quando recebeu a delegação do prefeito José Bonifácio, em janeiro deste ano, ficou registrado o início de uma relação e uma cooperação que vai fortalecer a relação entre Brasil e Angola, sobretudo no campo cultural e educacional.

“É na cultura que a gente se reconhece. E os afrodescendentes têm dificuldade de encontrar suas raízes. São raros os exemplos daqueles que se preocupam com esse resgate. Estamos aqui e abraçamos essa jornada, juntos nessa busca histórica, entre Cabo Frio, Angola e Cabo Verde”, diz o cônsul angolano, Mateus Sá Miranda.

Reforçando a receptividade cabo-friense, o cônsul cabo-verdiano, Pedro Antônio Santos, celebra a iniciativa.

“Agradeço ao prefeito José Bonifácio pela preocupação e dedicação com nossa africanidade. Essa é uma das experiências mais lindas que já vivi aqui no Brasil, com autoridades que se interessam pela África de maneira geral. Como cabo-verdiano, isso é muito especial. Antigamente, quando encontrávamos pessoas de outros países, elas não sabiam onde era Cabo Verde, ou identificavam como sendo parte de Angola. Hoje existe esse reconhecimento. Fico muito grato de estar participando desse momento histórico”, considera Pedro Antônio.

Durante toda a jornada foram realizados debates virtuais, palestras, atividades culturais que contaram com presenças ilustres. O ator Paulo Betti e o cônsul geral de Cabo Verde, Pedro António dos Santos, fizeram uma participação especial trazendo uma análise do atual momento da cena audiovisual no Brasil, e da importância da representatividade e do fomento à produção cultural no país. A renomada escritora Conceição Evaristo,a doutora Vera Duarte Pina, que já foi ministra da Educação e Ensino Superior de Cabo Verde, e o doutor Germano Almeida, ganhador do Prêmio Camões de Literatura, participaram de um painel que tratou da literatura africana de língua portuguesa.

O ex-ministro-chefe da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial e ex-presidente da Fundação Palmares, Eloi Ferreira de Araújo, também participou de debates junto a outras figuras ilustres, como Pedro Verona. Atuante nas lutas políticas educacionais, pelos direitos humanos, das mulheres e na luta antirracista, Pedro chefiou o primeiro governo de Cabo Verde, como deputado eleito, e posteriormente foi eleito presidente daquele país em 2001, e reeleito em 2006. Atualmente se dedica à presidência da fundação Amílcar Cabral e do instituto Pedro Pires para lideranças.

No encontro da última segunda-feira (12), durante sua participação, Pedro Verona chegou a comemorar a proximidade entre Cabo Frio e Cabo Verde.

“Pelo menos para alguma coisa serviu a pandemia: forçar-nos a utilizar mais os meios de comunicação modernos, ultrapassar as viagens e de uma forma prática e acessível nos conectar uns com os outros”, comentou.

Durante toda a jornada, professores da rede municipal que se inscreveram para participar das palestras e debates, e assinaram o formulário de presença, receberão certificação da Coordenadoria de Formação Continuada.



Fonte: Prefeitura Municipal de Cabo Frio