Meri Damasceno dispara no Facebook: “Foi Traição” sobre mudança na Cultura

    0
    42

    Uma postagem no Facebook sobre a saída de Meri Damaceno da Secretaria de Cultura rendeu uma discussão, na manhã desta quinta-feira (27/06), entre ela e o coordenador de Cultura da Câmara Municipal, Ricardo Varella. A postagem foi feita pelo dançarino Allan Lobato. Varella entrou na história e disse que a troca na Secretaria de Cultura “não foi perseguição”. Meri rebateu, chamando o episódio de “traição”. A postagem de Allan Lobato foi feita às 7h41. No texto ele dizia: “A perseguição já começou, fui removido de dois grupos de cultura de Cabo Frio”, disse o professor de dança sobre as suas publicações.

    Allan vinha recebendo a solidariedade de colegas quando, às 8h27, Ricardo Varella, que chamou membros selecionados da classe cultural, a pedido do secretário de Governo, Miguel Alencar, para a reunião de quarta-feira (26/06) no gabinete do prefeito em que o pai, Milton Alencar, foi convidado para ocupar o lugar de Meri na Secretaria de Cultura, respondeu: “Não foi perseguição. Foi escolha. Admiro a sua arte e o que você faz. Boa sorte”, disse Varella, que completou no comentário seguinte: “Cada um com sua visão da verdade. E a bem desta verdade aquela reunião só aconteceu dois dias depois que a Secretária havia sido comunicada que sairia agora no final do mês. Não participei de nenhuma articulação antes disto”, justificou-se.

    Na sequência, às 10h06, Meri respondeu: “Foi traição. Especialmente sua, que vivia dando beijinho no meu rosto, me chamando de secretária querida, que me achava a melhor secretária do governo e blá blá blá. Tudo armado com seu protetor Miguel, o seu objetivo sempre foi me tirar da Secult, eu e toda a equipe. Você deve realmente me achar incompetente. Porém quero dizer que o povo da minha cidade não pensa como você. Pessoas que têm atitudes falsas como você e sua corja é que fu***** minha terra durante todos esses anos, e você faz parte disso. Espero que sua filha faça bom proveito da portaria que ganhou. Até a acho bastante competente e uma menina merecedora, mas infelizmente ela está entrando na vida pública de maneira equivocada e apadrinhada. Beijos no seu tão generoso e sincero coração”, ironizou Meri.

    Varella voltou a dizer que não articulou para a saída dela da Secretaria de Cultura. “Você se engana. Minha filha não tem portaria. Sempre gostei do seu trabalho, fui sincero nisto. Se você não acredita é seu problema. Sempre atendi a tudo que vocês me pediram de pronto. Não articulei absolutamente nada, só soube na quarta-feira que você foi afastada e me pediram para marcar uma reunião com segmentos. Foi o que fiz, inclusive tinham vários conselheiros e funcionários, além de outros secretários. Nunca que pedi absolutamente nada. Todos sabem e vocês sempre souberam que faço parte do grupo político de Miguel Alencar. Tenho orgulho disso. Sempre respeitei os artistas e a cultura. Você fez em sua gestão coisas muito boas e eu admiro isto. Se não pode ficar, isto é uma decisão do prefeito”, respondeu ele.

    Meri rebateu mais uma vez: “Siga em frente. Que bom que sua filha não tem portaria. Então a Karen Varella do jornal deve ser outra. Peço desculpas e você segue com sua vida e eu sigo a minha”, declarou ela. A bailarina e servidora da Secretaria de Cultura, Tatiana Prota Salomão, fez coro com Meri e disse que a mudança ocorre por “interesses escusos”. “Quanta mentira e falsidade para justificar o injustificável. Foi armado, foi traição, foi feio, mau caráter, foi por interesses escusos e não pela cultura cabofriense e nem pelo artista. Senão, ficava Meri e a equipe que estava fazendo cultura com respeito, honestidade, dignidade e verdade. Decepção total. Mais do mesmo, a sujeirada de sempre”, afirmou ela. O ex-secretário de Cultura José Facury lembrou de episódios ocorridos no passado em relação ao setor.

    “Estas articulações de gabinete com o mesmo e “notável” grupo são bem comuns. Aconteceram em 2009 contra o (Guilherme) Guaral, com Zé Correia em 2010, comigo em 2015 e agora em 2019. Os prefeitos bananas aceitaram. Uns outros rejeitaram, distribuindo portarias para os ânimos acalmarem e tomarem outra resolução”, opinou Facury.

    EM REUNIÃO NO CHARITAS, CLASSE ARTÍSTICA SAI EM DEFESA DE MERI

    A Secretaria de Cultura convocou uma reunião para a noite dessa quinta-feira (27/06) para debater o funcionamento do Conselho Municipal de Cultura e do Conselho de Patrimônio após as mudanças na pasta por conta das exonerações e da reforma administrativa da Prefeitura, aprovada esse mês na Câmara. O encontro, porém, serviu também para que parte da classe artística da cidade fizesse o uso da palavra para sair em defesa da ex-Secretária de Cultura, Meri Damaceno. Os artistas manifestaram o repúdio contra a forma “covarde”, segundo eles, em que se deu o processo de troca no comando da cultura em Cabo Frio.

    Conteúdo exportado via Portal de Notícias Administrável Hotfix