Sem investimentos cidades continuam sofrendo com alagamentos a cada chuva

0
42

Toda vez que chove é a mesma história: bairros inundados, muita reclamação, barricadas, e horas e mais horas de espera até que as águas escoem. Depois disso, um rastro de lama e lixo que fica espalhado pelas ruas, muita água contaminada com esgoto acumulada em muitos lugares, lixo espalhado e bueiros entupidos. Não bastasse isso, as Prefeituras passam a máquina PATROL pelas ruas de forma inadequada e acabam empurrando a lama para dentro dos quintas das casas das pessoas. E essa semana, mais uma vez, as cidades da Região dos Lagos passaram novamente por todos esses transtornos.

Dessa vez, as imagens que vamos ilustrar essa matéria são do município de Araruama. A falta de redes de escoamento de águas pluviais nas cidades é um problema crônico, uma vez que na geografia da região, os poucos rios que existem estão localizados nas regiões rurais e os canais (ou valões) que existiam no passado, foram fechados para dar espaço às largas avenidas e conjuntos de condomínios. Em 50 anos, as cidades se expandiram. O mercado imobiliário cresceu de forma assustadora, porém, as redes de captação e escoamento de águas pluviais continuam sendo as mesmas de décadas passadas.

A chuva atingiu com força as cidades da Região dos Lagos na segunda-feira (08/04), deixando ruas alagadas em várias cidades e bairros inteiros sem energia. No Jardim Esperança, a comunidade do Valão ficou embaixo d’água e os moradores, mais uma vez, ficaram ilhados sem poder entrarem nem saírem de casa. Perto do Hospital do Jardim Esperança, e do Condomínio do Minha Casa, Minha Vida faltou luz, assim como no Portinho e no Parque Burle, todos em Cabo Frio.

A chuva não foi tão forte, apenas 36mm de acordo com a Defesa Civil, mas o suficiente para criar os pontos de alagamento nos mesmos locais que já são bastante conhecidos de toda a população cabofriense: bairros como Braga, Vila Nova, Passagem, São Bento, Guarani, Jardim Flamboyant, Jardim Caiçara, Parque Burle, Jardim Esperança, Tangará e Parque Eldorado 3. No Tangará, tijolos de uma obra caíram sobre uma casa, desalojando uma família; no Parque Eldorado 3 um muro desabou e atingiu uma casa. No Jardim Caiçara, houve queda de árvore na Rua Mário Filho.

Em São Pedro da Aldeia foram registrados 38mm de água e cinco pontos da cidade ficaram alagados, conforme a Defesa Civil. Bolsões d’água foram formados nos bairros São João, Vinhateiro e Praia Linda. No Porto do Carro, moradores chegaram a ficar ilhados. Iguaba Grande também registou volume de água de chuva acima dos 34mm. A Prefeitura informou que as comportas do Rio Salgado Filho foram abertas para o escoamento da água. Nenhuma ocorrência foi registrada, segundo a Defesa Civil. Em Araruama, como mostram as fotos dessa reportagem, também houve alagamentos em diversos bairros, causando transtornos à população.

O que acontece é que as chuvas vão e vem, as temporadas de verão vem e vão e não há qualquer sinalização de investimentos de grande porte, em nenhuma das cidades da Região dos Lagos, nem por parte dos Governos Estadual e Federal, para que se encontre solução definitiva através de obras definitivas. Enquanto isso a Defesa Civil vai enxugando gelo, e a população vai lavando as casas, comércios e equipamentos públicos danificados.

Conteúdo exportado via Portal de Notícias Administrável Hotfix