Guarda Ambiental resgata macaco-prego e fragata em São Pedro da Aldeia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Mais dois animais foram resgatados pela Guarda Ambiental de São Pedro da Aldeia em menos de 24h. Na segunda-feira (23), uma fragata, também conhecida como tesourão, foi socorrida pelos agentes no bairro Porto da Aldeia. O animal estava debilitado e foi encaminhado para o CTA, em Cabo Frio. Já no domingo (22), a Secretaria Municipal de Meio Ambiente recebeu uma solicitação de moradores para a retirada de um macaco-prego de uma residência na localidade da Ponta da Areia, no bairro Boqueirão. As ações ocorreram após o resgate da coruja tyto na última sexta-feira (20), que já foi devolvida ao habitat.

A fragata (Fregata magnificens) é jovem e foi encaminhada pelos agentes da Guarda Ambiental para o CTA – Meio Ambiente, da Petrobras, que trabalha com o monitoramento, resgate e atendimento veterinário da fauna local. “Junto ao agente Dias, recebemos o chamado dos moradores locais para o resgate da fragata na Rua Palmito Gomes, no Porto da Aldeia. Ela estava em uma canoa e bastante debilitada. Por ser um animal marinho, levamos a ave até o CTA, em Cabo Frio, para a realização de exames e futura reintegração do animal à natureza.  Trabalho por amor aos animais e fico muito feliz em poder contribuir”, explicou Marcelo Silveira Sampaio, um dos agentes que participou do resgate. 

Segundo o autor do Livro de Ornitologia Brasileira, Helmut Sickas fragatas são as aves com a maior superfície de asa por unidade de peso. Elas chegam a medir de 85-100 cm e mais de dois metros de envergadura, pesando apenas 1,4-1,5 kg. O macho é preto e distingue-se por um saco gular vermelho. Já a fêmea é maior, tem cabeça escura e peito branco. Os mais jovens possuem a cabeça branca.

No final do dia do último domingo (22), a Guarda Ambiental realizou mais um resgate, desta vez de um macaco-prego na localidade da Ponta da Areia, no bairro Boqueirão. O animal era jovem e entrou em uma residência local. Ele estava em boas condições de saúde, mas ao ser encaminhado para o veterinário para os exames de rotina, foi constatado que o macaco não era castrado nem possuía chip de identificação. No momento, ele se encontra sob os cuidados da Secretaria Municipal de Meio Ambiente. Por não ser uma espécie nativa, a secretaria realiza todo o trâmite necessário para encaminhar o animal para a guarda provisória de um cuidador. 

Coruja tyto é solta

A coruja tyto, resgatada na última sexta-feira (20), foi devolvida ao habitat original. Ela foi solta na Base Aérea Naval (BAeNSPA), no bairro Fluminense, mesmo lugar do resgate. A ação seguiu a orientação do veterinário consultado. Após o resgate, ela foi medicada e permaneceu sob os cuidados da Secretaria Municipal de Meio Ambiente até estar apta para a soltura. A ave também é conhecida como coruja-das-torres ou coruja-da-igreja.

Fonte: Jornal de Sábado