Gerson Tavares foi o primeiro brasileiro a explorar a Cabo Frio dos anos 1960 em longa-metragem | Região dos Lagos

0
13


O pintor e cineasta Gerson Tavares, que morreu de pneumonia aos 95 anos na última segunda-feira (24), deixou um marco na história artística de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio. Gerson foi o primeiro cineasta brasileiro a dirigir um longa-metragem na cidade, em 1968.

O filme de Gerson “Antes, o Verão”, com Jardel Filho e Norma Bengel e adaptado do livro homônimo de Carlos Heitor Cony, é considerado uma obra-prima do cinema nacional brasileiro.

Gerson Tavares com Norma Bengel e Jardel Filho, que interpretavam os personagens principais no filme “Antes, o Verão” — Foto: Arquivo pessoal

O longa conta a história de um homem na faixa dos 40 anos que constrói uma casa de veraneio em Cabo Frio. Casado com uma bela mulher, pai de dois filhos e bem sucedido na carreira, a casa é um símbolo de suas conquistas pessoais. Mas seu casamento começa a ruir e um misterioso assassinato assombra a família.

“Ele (Gerson) fazia um cinema de detalhe, existencialista nos moldes Italiano, escola que se formou, e Francês. A fotografia desse filme do Gerson, não existe nessa qualidade em nenhum outro filme da época”, afirma o documentarista Lucas Müller.

Lucas é responsável pelo documentário “Depois, O Inverno”, de 2017, que aborda a vida do cineasta e pintor. História que é contada pelo próprio Gerson Tavares, na época com 90 anos.

“Através do jornalista e amigo José Correia, ouvi sobre Gerson Tavares, que tinha sido cineasta, inclusive produtor do filme do Ruy Guerra. Ouvi também a história incrível do resgate de sua obra, de um pesquisador e professor da UFF, Rafael de Luna. Na semana seguinte visitamos Gerson, e marcamos a entrevista. Nos tornamos amigos, além do documentário”, conta o documentarista.

O nome do documentário, inclusive, é um trocadilho, segundo Lucas.

“A obra-prima de Gerson Tavares é ‘Antes, o Verão’ (1968), quando ele estava no auge e na juventude. Quase meio século depois gravamos esse documentário, agora na velhice de Gerson, por isso ‘Depois, o Inverno’. Ele adorou na época”, conta o documentarista.

De acordo com Lucas, na época de seu lançamento, “Antes, o Verão” chegou a ser exibido, mas acabou sendo censurado logo depois.

A obra, inclusive, correu o risco de desaparecer porque os negativos não existiam mais e havia apenas duas cópias muito deterioradas da obra, mas um projeto do pesquisador e professor de História do Cinema Brasileiro da UFF, Rafael de Luna, restaurou esse e outros trabalhos de Gerson.

O projeto foi concluído em 2015, quando o longa filmado em Cabo Frio foi reexibido no Museu de Arte Moderna (MAM), em Niterói.

Foi em Cabo Frio, RJ, que o cineasta e pintor, Gerson Tavares, resolveu viver boa parte de sua vida — Foto: Reprodução/Documentário ‘Depois, o inverno’

Gerson Tavares nasceu em Alcântara, São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio, em 1926 e se formou no curso de pintura da Escola Nacional de Belas Artes, em 1947.

Criado em uma família de baixa renda, Tavares conseguiu uma bolsa para estudar na Europa. Morou em Lisboa, Madri e Paris, onde se apaixonou pela sétima arte. Em Roma, de 1956 a 1957, estudou no Centro Sperimentale di Cinematografia, fazendo o curso de direção de cinema. Ainda na Itália, começou a filmar.

Gerson Tavares se apaixonou pelo cinema durante o tempo que viveu na Europa — Foto: Arquivo pessoal

O cineasta, no entanto, deixou a profissão nos anos 1980 e voltou a pintar.

Foi em Cabo Frio que o artista resolveu viver boa parte de sua vida. Gerson Tavares morava no bairro Portinho há mais de 40 anos.

“Voltei a minha primeira profissão, que era a pintura. Eu tinha um filho de 5 anos que gostava muito de Cabo Frio, então tive a feliz ideia de me mudar para Cabo Frio. E realmente eu dei a ele o maior presente que se possa dar a um garoto, que é uma infância feliz. Ele ainda não sabe disso, mas quando tiver a minha idade ele vai saber”, brincou o pintor e cineasta Gerson Tavares, em 2017, no documentário ‘Depois, o Inverno’.

O pintor e cineasta morreu em Cabo Frio e foi enterrado no Cemitério Santa Izabel, na terça-feira (25).



Fonte: G1