Festival literário em Macaé tem Espaço Geek com imersão de crianças e jovens à linguagem computacional




Evento segue até este sábado (11), com entrada gratuita, no Parque de Exposições Latiff Mussi. Crianças experimentando a Realidade Virtual durante a Flicmac
Bruno Campos/Prefeitura de Macaé
O Espaço Geek, uma das atrações do Festival de Literatura e Cultura de Macaé (Flicmac), no Norte Fluminense, está promovendo a imersão de crianças e jovens à linguagem computacional. Só da rede pública municipal, a expectativa é de 40 mil alunos visitando o festival, que começou na terça-feira (7).
O ambiente do Espaço Geek fica dentro de uma cobertura em formato esférico, onde os visitantes conhecem um pouco do mundo da programação e se divertem com a Realidade Aumentada e a robótica, tudo em parceria com a Secretaria Adjunta de Ensino Superior.
Espaço Geek, que fica em uma esfera, é um dos ambientes de diversão e aprendizagem da Flicmac, em Macaé
Bruno Campos/Prefeitura de Macaé
Quem passa pelo local entra no mundo do Scratch, Micro:bit, EV3, WeDo, Realidade Virtual, além de desafios Prototypus. O espaço também estimula o desenvolvimento da “cultura maker”, despertando a criatividade da garotada.
Espaço Geek oferece acesso de crianças e jovens à linguagem computacional na Flicmac
Bruno Campos/Prefeitura de Macaé
Com os óculos da realidade virtual, o estudante Caynan Fernandes, 12 anos, conta que reconhece o cenário de blocos, cores e personagens. Ele não sabia, mas a definição trata-se de um scratch.
Já as plaquinhas com leds, um micro:bit, armazena informações visuais acoplando sensores para um conjunto de programações. No Ev3 tem kits lego usados em blocos para competições em robô.
Crianças têm acesso ao mundo da robótica e competições com robôs no Espaço Geek na Flicmac, em Macaé
Bruno Campos/Prefeitura de Macaé
“Gostei de tudo que vi aqui, principalmente, dos programas que conheci no computador”, disse o estudante Caynan.
Gilmara Santos, professora de robótica do programa Inovar e Aprender, desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação, afirma que o objetivo do espaço é proporcionar oportunidades de acesso ao uso da tecnologia.
“As oficinas possibilitam oportunidades de criação e pensamento computacional, a partir da utilização de ferramentas para soluções que desejamos”, acrescentou.
Soluções com materiais simples
Usando materiais simples do dia a dia os visitantes do Espaço Geek, em Macaé, conseguem criar soluções para problemas
Bruno Campos/Prefeitura de Macaé
Mas as invenções não se limitam aos óculos de realidade virtual e nos algoritmos do computador. O público presente pode criar soluções para um determinado problema usando materiais simples, como papelão, palito de madeira ou canudo.
“Com os trabalhos manuais também conseguimos inserir o contexto de um conteúdo escolar como a história da arte, por exemplo. A partir daí programamos uma solução”, explicou a estudante de Química e monitora do espaço, Sofia Ávila.
O Flicmac tem entrada gratuita com visitação aberta das 8h às 20h durante a semana, e, neste sábado (11), vai funcionar das 9h às 18h.



G1 Região dos Lagos