Festas de fim de ano exigem cuidado redobrado na pandemia, orienta Fiocruz

0
27

Festas de fim de ano exigem cuidado redobrado na pandemia, orienta Fiocruz

É consenso que 2020 tem sido um ano estressante. A descoberta do novo coronavírus seguida da sua rápida disseminação resultou em meses de medo, necessidade de isolamento social e mudanças na nossa rotina. Quase um ano depois dos primeiros casos de Covid-19 na China e a poucas semanas das festas de fim de ano – e férias de verão no hemisfério sul – o mundo vive uma incerteza: é seguro reunir família e amigos? E viajar?

Feriados são datas em que celebramos as pessoas. Mas para este ano especialistas recomendam: apesar dos esforços de todos, o vírus continua se espalhando e a manutenção dos cuidados será decisiva para evitar o aumento no número contaminações, adoecimentos, mortes e, consequentemente, da rigidez nas políticas públicas para controle da doença, como o lockdown.

“É importante que as pessoas tenham consciência de que todos são responsáveis pelo controle da doença e que antes da organização de uma reunião familiar, por exemplo, é preciso fazer ponderações sobre como cada um está se cuidando”, afirma Moacyr Silva Junior, médico infectologista do Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo.

Para orientar a população acerca do assunto, o Centro Para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos publicou um material com as principais recomendações.

PEQUENAS REUNIÕES DE FAMÍLIA E AMIGOS:

Prefira reuniões pequenas, encontrando presencialmente apenas as pessoas que morem com você, compartilhe os mesmos ambientes e esteja tomando todos os cuidados para se proteger contra o novo coronavírus. Encontros pessoais que reúnem familiares ou amigos de diferentes famílias – incluindo pessoas que moram em outras residências ou cidades – apresentam vários níveis de risco para aumento da disseminação da Covid-19:

  1. Não devem participar dos encontros de fim de ano pessoas diagnosticadas com Covid-19, com sintomas da doença, que aguardam os resultados ou que tiveram contato com alguém com a doença nos 14 dias antes do encontro. Indivíduos que não aderiram de forma consistente às medidas de prevenção – distanciamento físico, uso de máscara contínuo, lavagem de mãos – representam mais risco do que aqueles que seguiram as medidas de segurança.
  2. Níveis elevados ou crescentes de casos de Covid-19 em determinadas comunidades, regiões, aumentam o risco de infecção e disseminação entre os participantes. Por isso, é importante que, antes de realizar um encontro, familiares considerem o número de casos em seus bairros e cidades e locais de procedência de seus parentes ou amigos e dos locais onde planejam se hospedar ou realizar as celebrações. Estas informações podem ser encontradas em sites das secretarias de saúde.
  3. Evite viagens de avião, ônibus e outros meios coletivos. Se não for possível, redobre os cuidados em aeroportos, rodoviária, paradas. Estes são pontos de grande circulação de pessoas com aumento das chances de exposição ao vírus
  4. Reuniões em locais fechados, com pouca circulação de ar (ventilação) representam mais risco que do que encontros ao ar livre. Prefira a segunda opção.
  5. Dê preferência a encontros mais curtos e mantenha o distanciamento físico de outros participantes. Estar a menos de 2 metros de alguém com Covid-19 por um total de 15 minutos, mesmo que ela não apresente sintomas, aumenta muito o risco de adoecimento e requer quarentena de 14 dias.
  6. Não há uma recomendação com limite de pessoas por evento. Por isso, são importantes o bom senso e o comprometimento de todos com a saúde. O tamanho das celebrações deve ser determinado com base na capacidade dos participantes de diferentes famílias ficarem distante pelo menos dois metros de outros, usarem máscaras, lavarem as mãos e usarem álcool em gel com frequência e seguirem as recomendações locais de saúde.

É possível que uma pessoa se contamine com o novo coronavírus tocando uma superfície ou objeto, incluindo alimentos, embalagens de comida e bebida e utensílios de cozinha que contenham o vírus e, em seguida, toque nariz, boca e olhos. Por isso, é importante seguir as seguintes regras:

  1. Incentive os convidados a trazer suas próprias comidas e bebidas.
  2. Use máscara ao preparar e servir as pessoas.
  3. Limite o número de pessoas que entram e saem dos locais onde as refeições sejam preparadas, como cozinhas e churrasqueiras.
  4. Todos os participantes devem retirar a máscara somente quando estiverem sentados à mesa para comer e beber. Neste momento, ela deve ser guardada em um saco seco e respirável (como um saco de papel ou tecido de malha) para mantê-la limpo entre os usos. Ao se levantar da mesa, a máscara deve ser recolocada.
  5. Limite a aglomeração em áreas onde a comida é servida, fazendo com que uma pessoa distribua os alimentos individualmente nos pratos, sempre mantendo uma distância mínima de 2 metros da pessoa a quem está servindo. Evite buffets lotados e estações de bebidas.

VIAGENS E PERNOITES

Se a ideia é pegar a estrada, antes de fazer as malas, faça as perguntas abaixo e, se alguma delas tiver resposta positiva, a recomendação é adiar a viagem e ficar em casa. Viajar pode aumentar as chances de obter e propagar a Covid-19.

  1. Você, alguém da sua casa ou alguém que visitará tem maior risco de ficar muito doente por causa da Covid-19?
  2. Os casos são altos ou estão aumentando em sua comunidade ou em seu destino?
  3. Os hospitais em sua comunidade ou destino estão sobrecarregados com pacientes que têm Covid-19?
  4. A sua casa ou destino tem requisitos ou restrições para os viajantes? Verifique os requisitos estaduais e locais antes de viajar.
  5. Durante os 14 dias anteriores à sua viagem, você ou as pessoas que está visitando tiveram contato próximo com pessoas com quem não moram?
  6. Seus planos incluem viajar de ônibus, trem ou avião, o que pode dificultar a permanência de 1,8 metro de distância?
  7. Você está viajando com pessoas que não moram com você?

Antes de dormir fora ou hospedar alguém é importante avaliar como será feita a viagem sua ou o do hóspede, se todos os cuidados preventivos foram tomados ao longo do tempo e, como serão os cuidados caso alguém adoeça. Além disso, alguns cuidados diminuem os riscos de contaminação:

  1. Lave as mãos com água e sabão por pelo menos 20 segundos, especialmente na chegada.
  2. Use máscaras enquanto estiver dentro de casa. As máscaras podem ser removidas para comer, beber e dormir, mas os indivíduos de diferentes famílias devem ficar a pelo menos 2 metros de distância uns dos outros o tempo todo.
  3. Melhore a ventilação abrindo janelas e portas ou colocando ar e aquecimento centrais em circulação contínua.
  4. Passe algum tempo juntos ao ar livre. Faça uma caminhada ou sente-se ao ar livre a pelo menos 2 metros de distância para interações interpessoais.
  5. Evite cantar ou gritar, especialmente em ambientes fechados.
  6. Trate os animais de estimação como faria com outros membros da família humana – não deixe os animais de estimação interagirem com pessoas fora da casa.
  7. Monitore anfitriões e convidados quanto a sintomas de Covid-19, como febre, tosse ou falta de ar.
  8. Os anfitriões e convidados devem ter um plano sobre o que fazer se alguém ficar doente.

Todas as nossas reportagens estão em constante atualização. Quem entender (pessoas físicas, jurídicas ou instituições) que tem o direito de resposta acerca de quaisquer de nossas publicações, por ter sido citado ou relacionado a qualquer tema, pode enviar e-mail a qualquer momento para [email protected]

©Plantão dos Lagos
Fonte: Revista Galileu
Fotos: divulgação