Comentário sobre foto com canga mobiliza internet após ofensa a jornalista: 'Prefiro a parte da frente. Sem roupa'

0
58



Post partiu de ex-colega de trabalho e também jornalista, que se desculpou após repercussão. Caso chamou atenção da OAB/Mulher de Petrópolis, no RJ. Comentário ofensivo em foto publicada por jornalista de Petrópolis, RJ, provocou revolta na internet
Ana Paula Tapajóz/ Arquivo Pessoal
Um comentário sobre uma foto com canga publicada em uma rede social pela jornalista Ana Paula Tapajóz, de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, está mobilizando a internet por ter sido considerado ofensivo.
“Prefiro a parte da frente. Sem roupa”, disse um ex-colega de trabalho e também jornalista.
O post feito na terça-feira (29), imediatamente após a publicação da foto, foi apagado.
O ex-colega de trabalho pediu desculpas à profissional na mesma publicação nesta quarta-feira (30), após a repercussão do caso nas redes sociais.
“Ana Paula, minha querida, errei. Quis elogiar e, além de grosseiro, fui completamente infeliz no meu comentário.Quis dizer uma coisa, e acabei dizendo outra. Tenho por ti, maior carinho, admiração e amizade. Você é merecedora do maior respeito pela profissional, amiga, e mulher generosa que é! Errei e peço humildemente perdão. A você, a seus familiares, e a todos que ofendi nesse comentário infeliz”.
A jornalista contou que ficou nervosa quando viu a primeira publicação e disse que não sabia como agir diante da ofensa.
“Pensei e decidi expor a situação para combater esse tipo de desrespeito. Me senti invadida, sabe? Não está sendo fácil, mas alguém tem que dar a cara para lutar por um futuro melhor”, disse.
O caso também chamou a atenção da presidente da Ordem de Advogados do Brasil (OAB/Mulher) de Petrópolis, Priscila Braga. Para ela, o comentário pode ser caracterizado como crime de assédio.
“Contar piadas com carácter obsceno e sexual, avaliar pessoas pelos seus atributos físicos e tecer comentários sexuais sobre a forma de vestir ou de parecer são formas de assédio. A mulher que passar por esta situação deve denunciar à polícia e processar o assediador”, afirmou Priscila.
O G1 também entrou em contato com o ex-colega de trabalho da Ana Paula por telefone.
“Esse negócio está exagerado! Tá muito exagerado. Eu postei uma coisa no Facebook para uma pessoa que gosto muito, mas acho que não fui compreendido. Só isso”, disse.
Repercussão
O ato provocou indignação e, desde então, foi iniciado um movimento que viralizou na internet com a mensagem: “De frente. De costas. Com roupa ou sem. Nosso corpo é nosso”.
Movimento ganhou grande repercussão na internet e imagem está sendo compartilhada por homens e mulheres
Ana Paula Tapajóz/ Arquivo Pessoal
O objetivo das publicações, segundo Ana Paula, é alertar as mulheres de que este tipo de comportamento não é aceitável.
Também estão sendo usadas as hashtags: “#TodosUnidosContraOassédio”, “#doeuemtodas”, “#maisrespeito” e “#semmachismo”.
“Nós não somos objetos. Nós temos alma, nós temos coração. Nós temos o nosso corpo que é um local sagrado pra nós. Nós não podemos aceitar que um homem qualquer nos desrespeite dessa forma. É por isso que vamos nos unir, vamos lutar e não vamos permitir que isso aconteça. Temos que denunciar”, destaca Ana Paula.
Ainda consternada com a repercussão do caso, a jornalista disse que não procurou a delegacia para fazer o registro de ocorrência, mas afirmou que fará em breve.
Veja posts de solidariedade
Initial plugin text
Initial plugin text
Initial plugin text
Veja outras notícias da região no G1 Região Serrana.


Fonte: G1