Cabo Frio acumula o maior saldo positivo regional de empregos dos últimos cinco meses, destaca Firjan

0
10


A Região dos Lagos abriu mais 1.314 novos postos de trabalho formais em julho deste ano, pouco mais de 30% em relação ao saldo observado no mês de junho (+983) ao analisarmos, de forma agregada, todos os setores econômicos (indústria, comércio, serviços e agropecuária). No acumulado do ano, o saldo foi de 6.779 contratações. A análise feita pela Firjan, a partir da plataforma Retratos Regionais, mostra ainda que Cabo Frio possui o maior saldo positivo da região no mês de julho (+714) e o maior dos últimos cinco meses (+1.062). Já o segundo melhor desempenho regional desde março fica com Rio das Ostras (+821).

A análise específica da indústria da região mostra que, em julho, o setor registra saldo positivo de 527 vagas de trabalho formais. Cabo Frio (+492) representa o melhor resultado industrial da região neste período. O segmento que impulsionou este número foi a fabricação de álcool (+500). Estes recortes seguem a atual divisão político-administrativa do estado e contemplam os seguintes municípios: Araruama, Arraial do Cabo, Búzios, Cabo Frio, Casimiro de Abreu, Iguaba Grande, Rio das Ostras, São Pedro da Aldeia, Saquarema e Silva Jardim.

Números estaduais

O mercado de trabalho fluminense iniciou o segundo semestre em alta, com saldo de 18.773 empregos formais no mês de julho e, com isso, o Rio foi novamente o terceiro estado que mais assinou carteiras de trabalho no país. Esse é o segundo melhor resultado do estado na série histórica do Novo Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), iniciada em janeiro de 2020. A Firjan, através da plataforma Retratos Regionais, destaca que o saldo do mês de julho deste ano foi positivo nos setores de serviços (+8.755), indústria e construção (+5.443) e comércio (+4.580). A agropecuária apresentou saldo negativo de cinco vagas. Todas as regiões e 73 dos 92 municípios fluminenses apresentaram saldo positivo de contratações.

A Firjan também ressalta que, com o desempenho do mês, a indústria, contemplando a indústria de transformação, extrativa, construção e Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP), recuperou o patamar de empregos com carteira assinada pré-pandemia. Entre março e junho de 2020, o setor industrial fluminense perdeu 36.511 postos de trabalho formais. Agora, no acumulado de julho de 2020 a julho de 2021, o saldo de vagas celetistas abertas é de 37.041, superando as perdas do ano passado. “Tivemos um resultado importante na indústria e também no comércio. A intensificação do processo de retomada econômica vai depender principalmente do controle da questão sanitária no país”, diz o presidente do Conselho Empresarial de Economia da Firjan, Rodrigo Santiago.

No início da pandemia de coronavírus o comércio fluminense fechou 49.005 postos de trabalho, mas desde julho de 2020 já abriu 51.142 vagas. Já o setor de serviços foi o mais afetado pelas restrições impostas pela pandemia e iniciou sua recuperação mais tarde. Entre março e agosto de 2020 fechou 111.012 vagas e, desde setembro, já recuperou 64.922 desse saldo perdido.

No agregado de todos os setores econômicos, o estado do Rio já recuperou aproximadamente 8 em cada 10 postos de trabalho perdidos após o início da pandemia: entre março e julho de 2020 houve saldo negativo de 191,2 mil vagas, que foram parcialmente recuperadas com a abertura de 150,5 mil vagas até julho deste ano. Na análise regional, 65 dos 92 municípios fluminenses já estão acima do patamar de empregos formais pré-pandemia – apresentam saldo positivo no período de março de 2020 a julho de 2021.

Plataforma Retratos Regionais

A plataforma Retratos Regionais da Firjan tem como base o saldo de empregos formais disponibilizados no Caged. Em painel setorial são disponibilizados dados específicos dos setores industriais.



Fonte:
Fonte Certa