Bandeira azul é hasteada na praia do Peró em Cabo Frio

0
10


Certificado internacional de qualidade ambiental, a Bandeira Azul será hasteada nesta quinta-feira, às 14 horas, na Praia do Peró, em Cabo Frio, para a temporada 2021/2022. Exceto Niterói, que tem a Praia do Sossego na fase piloto do projeto, Cabo Frio é a única cidade do interior fluminense com o selo de qualidade, um forte atrativo para atração do turismo internacional.

Com 7,2 quilômetros de extensão, a Praia do Peró se destaca no litoral fluminense pela riqueza ambiental no mar e na restinga preservada. Na divisa com Búzios, a área do Peró, que incluiu a Praia das Conchas, está nos limites do Parque Estadual da Costa do Sol e da Área de Proteção Ambiental do Pau-Brasil. A renovação é anual.

“Um certificado como este é o reconhecimento social e ambiental que reforça ainda mais nossa Costa do Sol como um dos principais destinos turísticos do nosso país. A praia do Peró é um orgulho para todos nós Fluminenses. “ Afirmou o secretário estadual de Turismo, Gustavo Tutuca.

Para o presidente do Conselho de Turismo da Costa do Sol (Condetur), Marco Navega, a Bandeira Azul da Praia do Peró mostra todo envolvimento da sociedade civil e empresarial local, além do apoio do governo de Cabo Frio.

“Estão mostrando ao Brasil e ao mundo que a sustentabilidade e respeito ao ambiente é prioridade naquele território abençoado pelo criador. Cada vez mais os visitantes escolhem praias certificadas para conhecer, e neste ponto, o Peró é protagonista neste quesito. Que outras praias do estado do RJ sigam esta tendência, “ disse Navega.

Antes do hasteamento da Bandeira Azul, moradores e ambientalistas que defendem o selo internacional vão lançar a campanha “Somos todos Peró”. O objetivo é chamar a atenção das autoridades para os problemas que, no futuro, poderão prejudicar a renovação do selo internacional. Eles fazer um alerta sobre os riscos que podem ser provocados com a redução ou fim de programas de ordenamento e de segurança na área da Bandeira Azul.

“O principal problema é a deficiência na fiscalização. Falta um telefone de emergência para os banhistas e visitantes acionarem os fiscais em casos de descumprimento das normas ambientais. A Prefeitura reduziu de seis para um o número de “agentes azuis” que fazem a fiscalização ambiental da praia, além de dispensar um dos dois coordenadores. Também é necessária a volta do projeto Bike Orla.” Cobrou o biólogo Octávio Menezes, do Amigos do Peró.

Criado em 1987 na França, a Bandeira Azul é um selo ecológico internacional que premia praias, marinas e embarcações de turismo que atendem a uma série de critérios. No caso das praias, a qualidade da água é o quesito número um. O objetivo do programa é conectar as pessoas com as áreas que as cercam e encorajá-las a aprender mais sobre o ecossistema local. O programa é gerido pela Fundação para Educação Ambiental (FEE), que está presente em 47 países.



Fonte:
Fonte Certa