Atua Energia investirá R$ 150 milhões em energia solar no Rio de Janeiro

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


A Atua Energia investirá R$ 150 milhões em projetos de energia solar no Estado do Rio de Janeiro. Em reunião com a Secretaria estadual de Desenvolvimento Econômico, Energia e Relações Internacionais, a empresa informou que os investimentos serão realizados em diferentes regiões do estado, até 2023, em cerca de 15 usinas de geração fotovoltaica, que terão capacidade de gerar, quando instaladas, 30 megawatts-pico (MWp).

 

– O Rio de Janeiro tem potencial para se tornar referência em energia limpa no país e vem se mostrando um destino certo para investimentos do setor. Queremos diversificar a matriz elétrica, estimulando o desenvolvimento de projetos que tragam benefícios ao meio ambiente, maior economia para o consumidor final, e gerem ainda mais empregos e renda para a população fluminense – afirma o governador Cláudio Castro.

Duas usinas já estão em fase de construção em Nova Friburgo, na Região Serrana, com investimentos de R$ 10 milhões, e em Cambuci, no Noroeste Fluminense, com investimentos de R$ 18 milhões. As unidades serão conectadas às redes da Enel em setembro e outubro deste ano, respectivamente.

– Essa é uma energia barata, limpa e renovável, que poderá ser utilizada por produtores rurais, pequenos e médios negócios, com uma economia estimada em até 20% no consumo – afirma o secretário de Desenvolvimento Econômico, Cássio Coelho.

 

Segundo o presidente da Atua Energia, Jorge Maciel, a empresa agora está avaliando onde serão instaladas as outras usinas de geração solar. Ele informou também que cada unidade gera de 40 a 60 empregos diretos e cerca de 200 indiretos na fase de construção. Todos os materiais relacionados à obra civil serão adquiridos no mercado local, de acordo com Maciel.

Descubra por que a Folha dos Lagos escreveu com credibilidade seus 30 anos de história. Assine o jornal e receba nossas edições em casa.

Assine Já*Com a assinatura, você também tem acesso à área restrita no site.





Fonte: Folha dos Lagos