Artesãs aldeenses abrem inscrições para oficinas de bordado à mão na Casa da Cultura

0
12


Os interessados em aprender técnicas básicas do bordado à mão já podem se inscrever para as oficinas 100% presenciais oferecidas pelo coletivo das Bordadeiras de São Pedro da Aldeia. A atividade será executada como contrapartida da Lei Aldir Blanc, que obriga os coletivos culturais contemplados a garantir programações gratuitas para moradores da cidade. As aulas acontecerão durante todo o mês de setembro na Casa da Cultura Gabriel Joaquim dos Santos, respeitando as medidas de prevenção à Covid-19. Para se inscrever, basta preencher um formulário on-line, disponível na página da Secretaria de Cultura, no site da Prefeitura (clique AQUI para acessar).

As inscrições se encerram nesta sexta-feira (3) e são restritas aos moradores do município, com idade a partir de 16 anos. Estudantes de escola pública que se inscreverem terão prioridade de vagas, conforme prevê a Lei. Ao todo, foram abertas três turmas distintas nos horários das 8h30 às 10h; das 10h às 11h30 e das 14h às 15h30, com máximo de cinco alunos por turma.

As oficinas acontecerão nos dias 09, 16, 23 e 30 de setembro e no dia 1º de outubro, simultaneamente ao período da exposição “Bordando o Sonho, a Flor e a Casa”, que também é assinada pelo grupo das Bordadeiras. “Será uma excelente oportunidade para que os alunos pratiquem o bordado e, ao mesmo tempo, possam se inspirar nas peças da exposição. Além de ser uma atividade terapêutica, o artesanato também pode servir como uma opção de renda extra”, disse a artesã Rosângela Guimarães.

Os participantes também ganharão um kit de artesanato, composto por cinco cores de linha de meada, duas agulhas, uma tesoura de arremate, uma toalhinha de mão, um pano de prato e tecidos para os treinos dos pontos de bordado.

“Como são oficinas de nível iniciante, os alunos aprenderão os pontos básicos primários para bordar a toalhinha e o pano de prato. Durante as aulas, vamos abordar pontos de contorno, pesponto simples e duplo, e os pontos atrás, haste, reto, cheio e margarida”, destacou a instrutora e artesã, Kátia Carvalho.

Em São Pedro da Aldeia, o grupo das mulheres bordadeiras foi um dos 48 coletivos e espaços culturais contemplados via inciso 2 da Lei Aldir Blanc.



Fonte: Prefeitura de São Pedro da Aldeia