ARRAIAL DO CABO: Polícia Civil prende homem acusado de estupro e cárcere privado por 26 anos

0
25

Policiais Civis de Arraial do Cabo (132ª DP) prenderam nesta terça-feira (29/12), um homem que vinha sendo investigado havia seis meses pelos policiais civis por pegar uma menina que vivia nas ruas pedindo dinheiro, levá-la para sua casa e estuprá-la por 26 anos.

De acordo com a Polícia Civil, o criminoso também a agredia, a mantinha em cárcere privado e a ameaçava de morte, caso tentasse ir embora. A vítima acabou engravidando do agressor. Contra o homem, de 67 anos de idade, foi expedido pela Justiça mandado de prisão preventiva por continuar ameaçando a vítima durante as investigações.

Segundo a Polícia Civil, a vítima foi abordada pelo criminoso quando tinha 12 anos de idade, enquanto pedia dinheiro nas ruas do Rio de Janeiro. Com a promessa de lhe dar um emprego, além de abrigo e comida, o homem a levou para sua casa, em Arraial do Cabo, e a apresentou para a família como sendo sua filha de um antigo relacionamento.

A menina passou a ser tratada como filha pela esposa do acusado e como irmã pelo filho do casal. Dois dias após chegar à residência, começaram os abusos sexuais e, em seguida, os estupros, mediante ameaças de devolver a criança para as ruas caso contasse algo para sua família. Após anos de abusos, a vítima acabou engravidando.

A investigações da polícia apontam que além de abusar sexualmente da vítima, ele passou a agredi-la com socos e a ameaçá-la de morte quando ela, já adulta, começou a namorar e tentou sair de casa. O homem começou, então, a agredir também a esposa.

“Depois de anos de sofrimento, essa vítima, finalmente, teve coragem de contar para a família o que vinha acontecendo e pediu a ajuda do irmão para salvá-la, pois o agressor a mantinha em cárcere privado. O irmão, então, chamou a polícia”, relatou a delegada de Arraial do Cabo, Patrícia Aguiar.

O agressor foi indiciado por estupro de vulnerável e por cárcere privado. Ele também responde por coação no curso do processo. Os nomes dos envolvidos não foram informados pela polícia.

Todas as nossas reportagens estão em constante atualização. Quem entender (pessoas físicas, jurídicas ou instituições) que tem o direito de resposta acerca de quaisquer de nossas publicações, por ter sido citado ou relacionado a qualquer tema, pode enviar e-mail a qualquer momento para [email protected]

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui