Renault terá 2 novos elétricos até o fim do ano e SUV compacto em 2023

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Junto ao lançamento do novo Kwid E-Tech, o carro elétrico mais barato do Brasil, a Renault também anunciou algumas importantes novidades para o nosso país. Como parte de um novo ciclo de investimentos já revelado, a marca desenvolverá novos carros por aqui e também ampliará sua linha de elétricos.

O próximo lançamento já confirmado da marca francesa será a Master E-Tech, versão 100% elétrica da van grande da Renault. Tal qual o Kwid elétrico, ela será importada. O motor é o mesmo do Zoe e entrega 76 cv e 23 kgfm de torque. Em sua versão diesel com motor 2.3, a Master entrega 130 cv e 31,7 kgfm.

Com isso, ela terá velocidade máxima limitada a apenas 100 km/h, ficando nítido que seu uso será prioritariamente urbano. A autonomia é de 185 km e são necessárias seis horas em um wallbox de 7 kW para recuperar 80% da carga. Ela será focada nos clientes frotistas e empresas que buscam uma van elétrica.

Renault Master E-Tech [divulgação]
Renault Master E-Tech [divulgação]

Elétricos no topo

Renault Mégane E-Tech [divulgação]
Renault Mégane E-Tech [divulgação]

Enquanto o Kwid E-Tech representa a porta de entrada da Renault no segmento de elétricos, o Mégane E-Tech servirá como a ponta mais alta da marca. Atuando acima do Zoe, ele será importado ainda nesse ano. A marca diz apenas que terá novidades sobre ele nos próximos meses, mas a chegada até o final de 2022 é mais que certa.

Lá na Europa ele conta com duas opções de motores. O modelo de entrada vem com 130 cv e 25,5 kgfm de torque, enquanto o topo de linha entrega 218 cv e 30,6 kgfm. A versão menos potente roda até 300 km com carga completa, enquanto o mais caro vai a 470 km com carga completa. É possível que a marca francesa opte pelo mais potente.

Renault Mégane E-Tech [divulgação]
Renault Mégane E-Tech [divulgação]

Pulse da Renault

Já que os planos para os novos Sandero e Logan/Taliant esfriaram, a Renault vai investir forte em SUVs no Brasil. A marca prepara um novo modelo de porte compacto para ficar abaixo do Duster e ser construído sobre a plataforma modular CMF-B. Ele será o primeiro carro da Renault no Brasil com a plataforma, que promete render mais produtos ainda.

A ideia é oferecer um rival para o Fiat Pulse e para o Volkswagen Nivus, mas sem compartilhar elementos com algum hatch. Ou seja, será um modelo independente e pode até seguir carreira internacional futuramente. Ele será totalmente diferente do Kiger que ilustra a abertura dessa matéria, mas que hoje representa a porta de entrada da Renault no segmento de SUVs.

Dacia Sandero Stepway [divulgação]
Dacia Sandero Stepway [divulgação]

Além disso, será o primeiro Renault brasileiro com motor 1.0 TCe três cilindros turbo que substituirá o 1.6 hoje usado por Stepway e Duster. De importância gigantesca, esse novo SUV compacto será o modelo de grande volume da Renault. O Kwid serve como porta de entrada, enquanto Duster e Captur são os modelos de fidelização dentro da marca.

O Pulse/Nivus francês será aquele que captará clientes e terá grande volume dentro da Renault, tomando o lugar do Sandero e do Logan. Novos carros com plataforma CMF-B serão lançados pela Renault após a estreia desse SUV.

Renault Kiger [divulgação]
Renault Kiger [divulgação]

O mais cotado é o SUV médio de sete lugares Bigster, além da próxima geração do Duster. O Captur deve sair de cena com esse processo, mas uma nova Oroch pode surgir com a base global. A próxima geração do Nissan Kicks também usará essa plataforma, além um inédito SUV acima do modelo de entrada da marca japonesa.

>>Renault Kwid E-Tech estreia como carro elétrico mais barato do Brasil

>>Mégane vai voltar ao Brasil, mas agora como SUV elétrico

>>Fiat Pulse vs. VW Nivus: quem é o rei dos SUVs pequenos? | Comparativo



Fonte: Revista Carro