Piloto filipina será a 1ª mulher na academia da McLaren e parceira de brasileiro


A McLaren anunciou nesta quarta-feira que terá uma mulher entre seus pilotos pela primeira vez na história. O tradicional time britânico da Fórmula 1 contratou a filipina Bianca Bustamante para sua academia de jovens pilotos. A filipina de 18 anos vai trabalhar ao lado do brasileiro Gabriel Bortoleto, outro reforço recente da academia.

Bianca estreou em carros de monoposto no ano passado, ao disputar a temporada da W Series, categoria exclusivamente de mulheres. Neste ano, ela disputa a primeira temporada da F-1 Academy, competição que substituiu a W Series e que acompanha parte do calendário da Fórmula 1. Ela defendeu a equipe Prema. Em 2024, ela vai defender a equipe ART Grand Prix, parceira da McLaren.

+ Celebridades do esporte se juntam a investimento com foco na equipe Alpine de Fórmula 1
+ Fórmula 1 estende contrato e Pirelli continua a fornecer pneus para a categoria até 2027

Bianca Bustamante – Crédito: Reprodução/Site McLaren

“Este é um momento tão surpreendente na minha carreira… Assinar com a McLaren e a ART Grand Prix é muito além de tudo que eu poderia imaginar quando crescia correndo de kart nas Filipinas. Ainda tenho dificuldades em ver meu nome ao lado da McLaren sem me emocionar, pois a história e o legado desta equipe me deixam verdadeiramente sem palavras”, festejou a jovem piloto.

“Sou muito grata por esta oportunidade, pois acredito que agora tenho a melhor estrutura de desenvolvimento possível ao meu redor para dar o próximo passo em minha carreira. Neste ano, melhorei a minha velocidade, o que demonstrei em várias corridas neste ano, mas em 2024 meu objetivo é estabelecer consistência e melhorar minha força mental para lutar pelo título na próxima temporada da F1 Academy.”

Chefe da McLaren, Andrea Stella elogiou a filipina. “A equipe está muito feliz por Bianca se juntar a nós e também na F1 Academy. É um princípio fundamental nosso ser uma equipe diversificada e inclusiva. Por isso estamos satisfeitos por ser tão envolvidos no trabalho da Fórmula 1 no importante tema de melhorar a diversidade de gênero no automobilismo.”





Motor Show