Ford pode se juntar à Citroën para não desistir de outros países

0
47


Depois da caótica situação no Brasil onde a Ford fábricas, o que fez com que muitos consumidores pensassem que ela havia desistido do país, a marca agora tenta a sorte como importadora. Mas em outros países o destino pode se repetir se a situação não melhorar. Agora é a operação da Índia que entra em xeque e a Citroën pode ser a salvadora da pátria.

Segundo informações do jornal The Hindu Business Line, a Ford pode se juntar à Citroën para sobreviver na Índia. A marca norte-americana havia assinado um contrato com a Mahindra para desenvolvimento de novos carros e compartilhamento de plataformas. A indiana até assumiria as operações da Ford por lá.

Mas o negócio não deu certo e a Mahindra deu para trás na empreitada. Sozinha novamente, a Ford busca novos parceiros e a escolhida parece ter sido a Citroën. Ao contrário da marca do oval azul, a do duplo Chevron está em momento de ascensão na Índia. Sua fábrica de Tamil Nadu hoje só faz o SUV médio C5 Aircross e se prepara para fazer o SUV subcompacto C3.

Ford EcoSport Storm [divulgação]
Ford EcoSport Storm [divulgação]

Citroën do oval azul

Com uma estrutura para fazer mais carros, a fábrica da Citroën pode receber em breve a produção de modelos da Jeep com plataforma EMP2 ou CMP que serão futuramente desenvolvidos. Vale ressaltar que na Índia, das marcas da Stellantis, somente Citroën e Jeep atuam.

Já a Ford tem fábrica em Chennai responsável pela produção de Ka, Aspire e EcoSport. Mesmo exportando o SUV compacto para mais de 37 países, a Ford não atingiu a capacidade produtiva total de sua planta. Por isso, estuda fechá-la para diminuir prejuízos. E é aí que a Citroën entra.

[divulgação]
[divulgação]

A Ford poderá desenvolver projetos em comum com a Citroën, usando plataformas da Stellantis. A ideia seria restringir essa atuação somente ao mercado indiano. Por isso, não espere por um Ford C3 aqui no Brasil.

>>Novo Citroën C3 ficou para 2022 na Índia. Será que atrasará no Brasil?

>>Peugeot 3008 fica R$ 20 mil mais caro semanas depois do lançamento

>>Flagra: Substituto do Citroën C3 2022 começa a perder a camuflagem



Fonte: Revista Carro