Flagra: Fiat Pulse 2022 roda ainda com camuflagem pesada

0
716


O que não é segredo para ninguém, a Stellantis ainda tenta esconder. O Fiat Pulse já foi totalmente revelado, por dentro e por fora, mas a marca segue em testes com o SUV do Argo. Flagra feito pelo leitor Guilherme Aloisio em Campinas, interior de São Paulo, só comprova isso. O modelo ainda traz camuflagem pesada.

Depois que um carro é revelado em sua totalidade, ou semanas antes do lançamento, as marcas costumam manter o modelo rodando com camuflagem a fim de chamar atenção. Afinal, cada flagra feito rende uma matéria em um site ou post no Instagram, como acontece por aqui.

Assim, o lançamento se mantém em evidência, ganha mídia e o modelo gera ainda mais expectativas. Com isso, o Fiat Pulse ainda segue em testes com pesada camuflagem. Toda lateral é coberta em lonas pretas a fim de disfarçar as partes compartilhadas com o Argo. Já a dianteira é coberta em adesivo de camuflagem.

Fiat Pulse [Auto+ / Guilherme Aloisio]
Fiat Pulse [Auto+ / Guilherme Aloisio]

Turbo ou CVT?

Com estreia programada para ainda em 2021, o Fiat Pulse será o primeiro SUV da Fiat desenvolvido e vendido no Brasil. Ele contará com motor 1.3 Firefly aspirado de 109 cv e 14,2 kgfm de torque aliado a transmissão manual de cinco marchas ou CVT, ainda sem quantidade de marchas simuladas reveladas.

Já as versões topo de linha estrearão o motor 1.0 GSE Turbo três cilindros. A potência esperada é na casa dos 130 cv, com torque superior aos 20,4 kgfm dos Volkswagen 1.0 TSI. Aqui, o câmbio será automático de seis marchas, o mesmo usado hoje pelos Stellantis com motor 1.8 E.Torq e 1.3 GSE Turbo.

O preço deve ficar próximo da faixa dos R$ 100 mil, considerando que hoje o Argo já chega nesses valores com motor 1.8. A ideia é que o Pulse seja o SUV de entrada do lado FCA da Stellantis, fazendo escada com o Jeep Renegade.

>>Pulse 2022 terá Google Assistente e Amazon Alexa

>>Novo Punto confirmado como Peugeot 208 da Fiat. Substituirá o Argo?

>>Fiat Argo S-Design democratiza tecnologia de versões caras – Avaliação

 



Fonte: Revista Carro