essa é a receita da Harley Sport Glide. Pena que custa quase R$ 100 mil – MinutoMotor

0
34


O dia começa ensolarado, com vento gelado e probabilidade de chuva no período da tarde. Então é hora de pegar a estrada – sentido Baixada Santista – com a Harley-Davidson Sport Glide. A moto norte-americana é um mix entre versatilidade, conforto e simplicidade, já que pode ser usada no dia a dia, como também se transformar em uma cruiser para viagens. Essa HD traz diferenciais: a minicarenagem e as malas laterais, que podem ser retiradas para dar mais agilidade no trânsito urbana. Preços a partir de R$ 98.900 para a versão em preto brilhante.

Na estrada a minicarenagem protege o motociclista do vento frontal, peça que é presa na suspensão por abraçadeiras de engate rápido. Já no caso dos alforjes, as malas rígidas contam com uma trava interna, além de dois pontos de ancoragem. A capacidade combinada é de 25,5 litros e conta com chave. Dá para levar uma mochila, capa de chuva e outros objetos para um bate e fica de final semana. As três peças são “destacáveis”.

Além dessa versatilidade no quesito roupagem, o que mais agrada nesta Softail é a ergonomia, traduzida pelo conforto sobre a moto. O piloto vai com os braços semiflexionados, cujas mãos se conectam com manoplas de boa empunhadura, aliado a um guidão largo, com 830mm de uma extremidade a outra. O painel de instrumentos fica sobre o tanque de combustível e apresenta bom posicionamento e fácil visualização das informações, mesmo em dias ensolarados.

Para contribuir com a posição mais relaxada de pilotagem, pedaleiras avançadas e um assento que deixa o piloto bem encaixado e, consequentemente, jogando centro de gravidade lá para baixo. Porém o banco do garupa é estreito, conta com pouca espuma e joga o carona para fora da moto em uma aceleração mais brusca. Um sissybar (apoio lombar) ajuda em muito a solucionar parte do incômodo, que está disponível na vasta linha de acessórios da Harley.

Com 2.325 m de comprimento, 317 quilos, a Harley-Davidson Sport Glide oferece um comportamento muito dócil, traduzido pelo bom desempenho do motor Milwaukee-Eight 107, 1.746 cm3, que oferece quase 15 kgf.m de torque. As repostas são bastante progressivas, sem susto, porém se for preciso de força para uma ultrapassagem, o tradicional V2 não nega sua origem e nada deve para a motos equipadas com o irmão maior de 114 polegadas cúbicas. Numa subida mais íngreme é baixar uma marcha e girar o acelerador.

Em pista molhada – No trajeto de volta chuva torrencial na subida da serra pela Rodovia Anchieta -, a moto se mostrou sempre na mão, no trilho, apesar do grooving do asfalto (ranhuras na vertical), que muitas vezes tira motos de menor capacidade da trajetória. Esse equilíbrio se dá em função dos pneus Michelin (130/70 – D e 180/70 – T), além é claro do conjunto de suspensões: na dianteira garfo telescópico invertida, com tubos de 43 mm e curso de 130mm. Já na traseira, monoamortecida, múltiplas regulagens de pré-carga da mola e 86mm de curso. Acerto com carga e garupa é fundamental para não bater seco e dar final de curso da suspensão traseira.

Antes de pegar a estrada faça o ajuste (carga e ou garupa) seguindo o manual do proprietário, já que a mecanismo fica exposto do lado direito. Se não sentir à vontade para fazer a operação passe em uma concessionária Harley ou no seu mecânico de confiança. O conselho parece tolo, mas a regulagem da suspensão faz toda a diferença na pilotagem e absorção de impactos. Ou seja, melhora o conforto de piloto e garupa.

Modelo raiz – Em termos de eletrônica embarcada, a Sport Glide conta apenas com piloto automático e sistema de freios ABS – com disco simples em ambas as rodas. Não há freios combinados ou ABS em curvas, controle de tração ou partida em rampas, como adotado nas novas Touring. Dessa forma a pilotagem fica mais “raiz”, porém ainda mantendo uma boa segurança. Farol redondo, guidão largo, motor V2, câmbio de seis marchas e muita força. Falando em força, a moto tem uma bela identidade visual, com destaque para as rodas de alumínio fundido, chamadas de Mantis, e farol com iluminação de LED. A moto também conta acabamento em preto: tampa dos cabeçotes e ponteira do escape, além do chassi. É uma HD que atrai um público mais jovem, entre homens e mulheres, juntamente por sua assinatura visual e versatilidade.

A versão cedida para teste pela Harley Brasil é 2020/2020. Na linha 2021, já lançada nos Estados Unidos, as mudanças foram apenas estéticas. A nova Sport Glide conta com alforges da mesma cor da moto, além de um grafismo mais jovial no tanque. Pena que aqui o modelo custe quase R$ 100 mil, valor de um VW Nivus 2021 Comfortline.



Fonte: R7