Empresa projeta vender R$ 100 mi em carros via criptomoeda no Brasil


A Osten Group, grupo automotivo voltado ao mercado premium, por meio de sua unidade de negócios de criptoativos Osten Cripto, iniciou recentemente a comercialização de carros por meio de criptomoedas. Com exclusividade, a companhia revela que a expectativa é comercializar R$ 100 milhões em veículos elétricos entre novos e seminovos somente nesta modalidade em dois anos.

De acordo com a empresa, o público que compra é de pessoas que não investem a médio e longo prazo e trabalham com trader. Entre as principais criptomoedas aceitas estão: bitcoin (BTC), ether (ETH) e tether (USDT), entre outras.

BMW iX3 – Crédito: Divulgação

A iniciativa começou com foco nos modelos elétricos de marcas como Tesla, BYD e BMW. Agora, também será expandida para os demais tipos de motorização e opções comercializadas pelas concessionárias da Osten.

Segurança

Para rastrear a origem dos ativos, a empresa contratou os serviços da organização norte-americana Blockpliance, na qual apresenta um score de risco da cripto que será transacionada.

A Osten também destaca que está dentro da normativa brasileira para criptomoedas. Trata-se da nova Lei 14.478, de 2022, que entrou em vigor no dia 20 de junho deste ano, e estabelece diretrizes para prestação de serviços de ativos virtuais e na regulamentação das prestadoras.

Tesla Model S – Crédito: Divulgação/Osten Group

Como funciona?

O processo funciona como uma análise de crédito, aos moldes de como é realizado para comprar um automóvel em uma concessionária, com a diferença de ser digital. Quando alguém transaciona uma criptomoeda, o processo fica gravado na blockchain, então é passível de ser rastreado e remontar todo o caminho da moeda digital, contra risco de ela estar em um mercado não regular.

“O cliente pode fazer a pesquisa em tempo real e simular na exchange na qual ele opera”, afirma Fabiano Nagamatsu, CEO da Osten Moove, que faz parte da Osten Group e que funciona como uma aceleradora Venture Studio Capital.

Fabiano Nagamatsu, CEO da Osten Moove – Crédito: Divulgação

As negociações também podem envolver parcialmente o real e criptomoeda, seja parcelado ou à vista.

“Quem quer pagar em criptomoeda vislumbra mais agilidade e menos burocracia. Por exemplo, eu tenho um dinheiro fora, transformo em cripto e pago agora. Ou seja, são pessoas que querem essa facilidade.”

Serviços em cripto

Em breve, a Osten pretende viabilizar esse tipo de pagamento para serviços, além da opção de assinatura. “É um meio de pagamento, então podemos estender para o pós-venda. Nós temos artigos esportivos da marca BMW, toda a parte de acessórios, de serviços, manutenção do carro”, encerra.





Motor Show