conversão de carros dobra em SP; veja como fazer

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Foto: Divulgação/Detran.SP

Com o aumento do preço dos combustíveis, a instalação do Gás Natural Veicular (GNV) pela população paulista cresceu 121,8% entre janeiro e maio deste ano. É o que mostra um levantamento divulgado pelo Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP).

Foram 3.600 solicitações nos cinco primeiros meses de 2022 contra 1.625 adaptações no mesmo período do ano passado. Atualmente, a frota com kit GNV no Estado de São Paulo é de 256.201 veículos.

+ Preço do diesel aumenta 10% nas bombas em junho e supera gasolina
+ Gasolina em SP deve ficar R$ 0,48 mais barata na bomba
+ Gasolina chega a bater quase R$ 9 nos postos e ainda não reflete reajuste

Rendimento

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), o metro cúbico do GNV em São Paulo é, em média, 18% mais barato que o litro da gasolina. Abastecendo com R$ 100 de GNV o motorista percorre, em média, 234 km. Com o mesmo valor, o condutor roda apenas 155 km com a gasolina ou 163 km com o etanol.

Como converter o carro para GNV?

O motorista que quiser converter o automóvel para o GNV deve solicitar uma autorização prévia junto ao Detran.SP.

Trata-se do mesmo procedimento de alteração nas características do veículo em relação à sua fabricação (como mudança de cor/envelopamento, combustível, blindagem), que resulta na emissão de um novo Certificado de Registro de Veículo (CRV).

O serviço é solicitado por meio do e-mail “[email protected]” e os seguintes documentos deverão ser digitalizados e encaminhados:

– Documento de identificação pessoal do proprietário do veículo;

– Certificado de Registro de Veículo (CRV) ou Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo (CRLV) – se o registro do veículo ocorrer a partir de 04/01/2021, o documento que deve ser apresentado é o CRLV-e;

– Requerimento de autorização prévia para modificação do veículo preenchido conforme modelo disponível no portal do Detran.SP.

Processo

Caso a documentação esteja em ordem, será expedida a autorização prévia e encaminhada por e-mail ao cidadão, que poderá apresentar seu veículo em qualquer Instituição Técnica Licenciada (ITL) para a realização de inspeção de segurança veicular, cuja conclusão resulta na emissão do Certificado de Segurança Veicular (CSV).

Após a ITL, será necessário ir com o veículo a uma Empresa Credenciada de Vistoria (ECV) para obter o laudo que libera a realização da alteração de combustível. Os serviços podem ser realizados em qualquer município que tenha uma empresa credenciada junto ao Detran.SP.

Para fazer o procedimento, o cidadão realiza a vistoria em uma empresa credenciada uma somente uma vez, antes da instalação. Depois vai à ITL anualmente obter o certificado e licenciar o veículo.

Com esses documentos em mãos, o proprietário deverá solicitar o agendamento em qualquer unidade do Poupatempo para solicitar a segunda via do CRV (se não houver mudança de propriedade) ou a transferência, ambas com a informação de que há alteração de característica veicular, no caso, do combustível.

MAIS NA MOTOR SHOW:

+ GP da Inglaterra: veja os horários e onde assistir a corrida em Silverstone
+ Licenciamento anual obrigatório de veículos começa amanhã (1º) em SP
+ Comparativo de Carros Elétricos: Peugeot e-208 GT vs. Mini Cooper SE vs. Fiat 500e vs. Renault Zoe
+ BMW elege os 10 carros mais icônicos da divisão M; veja a lista
+ Preço do diesel aumenta 10% nas bombas em junho e supera gasolina
+ Avaliação: Audi Q5 entra na era da eletrificação; confira como anda
+ Compra do Ano 2023/SUV compacto: Hyundai Creta
+ Avaliação: Honda City 2022 quer ser novo Civic, mas não é
+ Carro por assinatura vale a pena? Confira um guia completo com preços, vantagens e desvantagens



Fonte: Motor Show