Cinco carros impossíveis de colocar em uma categoria específica

0
54


No mundo automotivo, carros que não pertencem a uma categoria específica ou juntam elementos de várias são chamados de crossovers. O termo também é visto nas séries e filmes quando personagens de uma produção vão parar em outra ou as histórias se cruzam. Mas e quando as carrocerias se cruzam?

É comum até hoje chamar algum modelo com pretensão de SUV de crossover, o que não é verdadeiro. Por isso, selecionamos aqui cinco carros que são verdadeiros crossovers de carrocerias. Tanto que é impossível verdadeiramente dizer a qual segmento eles pertencem.

Kia Soul

Nem mesmo a Kia soube posicionar o Soul em sua linha, sempre o chamando de carro design. Não dá para chamar de SUV porque faltam muitas características para essa categoria e, por preços semelhantes, a marca tem o KX3, Stonic e Seltos, dependendo do mercado.

Kia Soul X-Line [divulgação]
Kia Soul X-Line [divulgação]

Como um hatch há equivalência com o Cerato e com o Rio, sendo que o Soul é bem mais alto que eles. Esse lado não definido do Kia permitiu a ele ousar muito no visual e tentar novas abordagens de estilo, tanto que a nova geração é a mais radical de todas. Conta com versão aventureira, esportiva e até elétrica.

Citroën DS5 / DS 5

O Citroën DS5 (depois apenas DS 5) era esquisito como todo carro da marca francesa deve ser, mas ao mesmo tempo belíssimo. Contudo, tente colocar ele em alguma categoria específica. Ele tem traseira que se abre como um hatch, ainda que até parte do teto se vá junto. Contudo, é grande demais para ser um hatch.

Citroën DS5 [divulgação]
Citroën DS5 [divulgação]

Tem carroceria volumosa e rodas grandes como um SUV, mas não é alto suficiente para isso e nem tem plástico preto na parte de baixo da carroceria. Certo ar de perua e de cupê ele também tem. Na prática ele acabava concorrendo com sedãs como BMW Série 3, Audi A4 e Mercedes-Benz Classe C. Que bagunça!

Qualquer BMW Gran Turismo

Além de serem considerados por muitos como os BMW mais feios de todos os tempos, os BMW Gran Turismo também não se encaixam em nenhuma categoria perfeitamente. Moda lançada pelo Série 5 Gran Turismo em 2009, a carroceria trazia o formato de cupê do X6 para uma altura de rodagem de sedã normal, mas com o mesmo volume de carroceria de um SUV.

As piadas com o visual do carro foram inúmeras em seu lançamento, mas a BMW achou que era sim uma boa ideia e repetiu a dose em 2013 com o Série 3 Gran Turismo, mesmo ano que o Série 5 GT foi reestilizado. O modelo original saiu de linha em 2017 substituído pelo Série 6 Gran Turismo que está vivo até hoje. Já o Série 3 GT se despediu em 2019 sem sucessor.

Peugeot 1007

Lançado em 2005, o Peugeot 1007 é um raro caso de modelo da Peugeot com dois 0 que não é um SUV. Ele foi criado como uma alternativa urbana para centros mega movimentados, mas que tentava se encaixar em diversas categorias. O que mais ele se aproxima é das minivans, ainda que seja quase uma mini minivan.

Peugeot 1007 [divulgação]
Peugeot 1007 [divulgação]

A carroceria tem formato quase monovolume e as portas são corrediças como as grandes minivans norte-americanas. A diferença é que são apenas duas portas, não quatro. As medidas são de um subcompacto, com porte de Renault Kwid e Fiat Mobi. E como tudo que é pouco não pode piorar, as lanternas traseiras são as mesmas da picape Hoggar brasileira.

Suzuki X-90

Ainda que hoje em dia os SUVs misturem diversas carrocerias diferentes em um pacote, o Suzuki X-90 fez uma junção jamais antes feita. Ele é um SUV na prática, mas também um sedã, ao mesmo tempo que tem elementos de cupê e de conversível, por causa do teto removível.

Suzuki X-90 [divulgação]
Suzuki X-90 [divulgação]

Para muitos, ele é considerado um dos carros mais feios já produzidos, mas olhando bem, tem um estilo tão genérico e sem graça que não ofende a ninguém. Salvo pela total falta de proporção entre a traseira de sedã, com a área envidraçada gigantesca e o perfil de utilitário.

>>Forza Horizon 5 tem 143 carros confirmados, incluso vendidos no Brasil

>>Ford mata mais um carro no Brasil e reduz linha a quatro carros

>>Cinco carros que só tiveram uma geração, mas foram importantes



Fonte: Revista Carro