Bons motoristas podem ter desconto em impostos e pedágios

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Trânsito rodízio São Paulo

Deliberação regulamenta criação do cadastro RNPC de condutores sem infrações por um ano, podendo oferecer desconto no IPVA e até no seguro

Motoristas que não tenham nenhuma infração registrada no período de 12 meses poderão ser beneficiados, conforme determina a Deliberação nº 257 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). A nova lei regulamenta a criação do Registro Nacional Positivo de Condutores (RNPC), que permitirá premiar os bons motoristas e estimular que sigam as leis de trânsito, concedendo descontos em impostos como o IPVA e em pedágios.

O RNPC já estava previsto no Código de Trânsito Brasileiro (CTB), no art. 268-A, mas ainda não tinha suas regras definidas. Esse registro terá “a relação dos condutores que não cometeram, nos últimos doze meses, infração de trânsito sujeita à pontuação prevista no art. 259 do CTB”, como diz a deliberação do Contran.

Os motoristas que quiserem se cadastrar no RNPC deverão primeiro conceder uma autorização, o que poderá ser feito por meio de aplicativo ou outro meio eletrônico regulamentado pelo Denatran. Esse meio será divulgado futuramente e não está descrito na deliberação.

Importante ressaltar que, ao conceder a autorização, o cadastro no RNPC estará disponível para consulta pública, ou seja, com acesso para que qualquer pessoa visualize.  Para fazer a consulta, será necessário informar nome completo e CPF do condutor, trazendo apenas a informação se ele está cadastrado ou não – não serão fornecidos dados pessoais nessa consulta pública. Caso deseje, o condutor poderá solicitar a exclusão do cadastro a qualquer momento.

O cadastro também será excluído nos seguintes casos: se houver pontuação por infração, se a pessoa for presa e se a CNH for suspensa, cassada ou estiver com validade vencida há mais de trinta dias.

O RNPC poderá ser usado para concessão de qualquer tipo de benefício fiscal ou tarifário aos condutores, porém, esses benefícios não estão definidos ainda. Caberá aos governos estaduais e municipais definirem, por lei, quais serão as vantagens oferecidas. Em uma audiência na Câmara dos Deputados em 2021, o Secretário Nacional de Trânsito, Frederico Carneiro, havia citado possibilidades como desconto em impostos, pedágio, locação de veículos ou até mesmo no seguro.

Agora, a Secretaria Nacional de Trânsito possui o prazo de 180 dias para implementar a nova lei, incluindo liberar o meio digital para que os condutores concedam a autorização prévia e o sistema de consulta.

Foto: Banco de Imagens/Revista Carro



Fonte: Revista Carro