Avaliação: Volvo C40 entrega um desempenho esportivo e é amigo da natureza

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Foto: Fabio Aro (Divulgação)

Moro em prédio e não tenho um wallbox muito menos uma tomada 220V por perto. Por isso, ao avaliar um veículo puramente elétrico planejo o roteiro para não ficar sem carga tampouco perder horas e horas estacionado no supermercado ou no shopping para recarregar o conjunto de baterias. O Volvo C40 Recharge P8 AWD foi nos entregue com o tanque cheio e a autonomia declarada de 444 quilômetros seria suficiente para as tarefas cotidianas…será?

Um passo adiante, todos os carros da Volvo serão elétricos, sendo que o fabricante será neutro em carbono e a produção utilizando apenas materiais recicláveis, em 2040. O C40 Recharge P8 AWD não é o primeiro carro movido a eletricidade da marca escandinava, pois já há o XC40 Recharge Pure (leia a nossa avaliação aqui). Contudo, o SUV cupê é o primeiro nascido 100% elétrico.

Me chamou a atenção o desenho das lanternas, assim como o aerofólio montado sobre a tampa do porta-malas e o spoiler de teto, enquanto as laterais exibem a linha de cintura elevada e as belas rodas de 20” calçam pneus de medidas 235/45. Ainda falando do design sueco, os faróis apresentam 84 diodos de matriz ativo, que iluminam precisamente os caminhos noturnos.

+ Guia de Carros Elétricos: Nissan Leaf, Volvo XC40, C40, Porsche Taycan e Audi e-tron
+ Avaliação: Volvo XC90 roda 4 km/real e mostra que plugar é preciso
+ Cinco dias, 126 km e só dois litros de gasolina: Volvo S60 Recharge mostra que híbrido plug-in é o carro ideal
+ Avaliação: esportivo de dois motores, Volvo S60 Polestar é uma pechincha em “custo-desempenho”

Da mesma forma que o XC40, o C40 Recharge P8 AWD também é montado sobre a plataforma CMA. E ele preserva os 4,440 m de comprimento do “irmão”, assim como o entre-eixos de 2,702 m, o qual atribui um espaço suficiente para as pernas/joelhos de quem viaja atrás, mas se diferencia pela altura da carroceria de 1,590 m contra 1,647 m do “XC”.

O porta-malas tem capacidade volumétrica de 413 litros e na dianteira sob o capô – onde ficaria o propulsor em um carro convencional – são 31 litros extras para levar bagagens pequenas.

Tudo azul!

O habitáculo revela o mesmo painel do XC40 transmitindo muita funcionalidade em um ambiente minimalista e com poucos botões. As laterais de portas trazem detalhes imitando mapas topográficos, que ganham vida em baixa luminosidade. Os bancos em material ecológico acomodam muito bem o corpo e conferem uma ótima posição de dirigir.

O teto solar panorâmico não possui escotilha e o controle de luminosidade é realizado por meio de um botão, enquanto o quadro de instrumentos totalmente digital oferece só dois modos de visualização. No entanto, o puramente elétrico da Volvo dá um show à parte no quesito conectividade.

Ele oferta o sistema Google Automotive, que integra os serviços do Google e, entre as funcionalidades, de acordo com a rota informa o quanto de bateria chegaremos ao destino. Um sistema muito fácil de utilizar e para lá de intuitivo.

Volvo C40
Foto: Fabio Aro (Divulgação)
Sem botão de partida

De início fiquei procurando o botão de partida, mas lembrei que não há e para movimentar o SUV cupê da Volvo basta posicionar a alavanca seletora de marchas em “D” e acelerar.

Embora não seja um esportivo muito menos tenha pretensões para tal, o Volvo C40 Recharge P8 AWD arranca com (muito) vigor. Um desempenho empolgante fruto dos dois motores elétricos montados no eixo frontal e traseiro. Estão disponíveis brutos 408 cv de potência e 660 Nm (67,30 kgfm) de torque, que movem com vitalidade os 2.207 kg do utilitário esportivo. Tudo isso, entregue de forma instantânea e sem emitir uma grama de poluição na atmosfera.

Foto: Fabio Aro (Divulgação)

Segundo os números de ficha técnica, o Volvo C40 Recharge P8 AWD precisa de menos de cinco segundos para ir aos 100 km/h e crava 180 km/h de velocidade máxima (limitada eletronicamente).

Não só acelera forte, como também aproveita muito bem a inércia após retirarmos o pé do pedal do acelerador e outro ponto elogiável é o isolamento acústico da cabine da mesma forma que a direção assistida eletricamente rápida ao esterço.

Foto: Fabio Aro (Divulgação)

A função “One Pedal” já é conhecida de outros veículos puramente elétricos e ela aumenta o poder de regeneração permitindo guiar utilizando apenas o pedal do acelerador. Muito útil e ainda ajuda a poupar os freios. Ao longo da minha convivência com o Volvo C40 Recharge P8 AWD o computador de bordo registrou médias urbanas de 13,2 kWH/100 km.

Foto: Pedro Dantas (Divulgação)

Ou seja, sendo possível realizar todas as minhas tarefas e ainda devolver o carro com uma sobra de carga na bateria. Caso tivesse um wallbox na minha vaga do prédio, o Volvo C40 Recharge P8 AWD seria a minha escolha de carro elétrico.


FICHA TÉCNICA

VOLVO C40 RECHARGE P8 AWD
Preço inicial: R$ 419.950
Carro avaliado: R$ 419.950

Volvo C40 P8 Recharge P8 AWD
Motores: elétricos, um dianteiro e outro traseiro, síncronos, ímã permanente
Combustível: a bateria
Potência: 204 + 204 cv = 408 cv de 4.350 a 18.900 rpm
Torque combinado: 330 + 330 Nm = 660 Nm
Câmbio: automático, caixa redutora fixa
Direção: elétrica
Suspensão: MacPherson (d) e multilink (t)
Freios: disco ventilado (d) e disco sólido (t)
Tração: integral
Dimensões: 4,44 m (c),1,87 m (l), 1,59 m (a)
Entre-eixos: 2,702 m
Pneus: 235/45 R 20 (d) e 255/40 R20 (t)
Porta-malas: 413 litros (dianteiro: 31 litros)
Bateria: íons de lítio, 78 kWk (75 utilizáveis)
Peso: 2.207 kg
0-100 km/h: 4s7
Velocidade máxima: 180 km/h (limitada eletronicamente)
Consumo médio: 4,6 km/kWh (oficial, WLTP)
Consumo no teste: 5,1 km/kWh
Autonomia: 444 km (WLTP)
Tempo de recarga: 8h30 (wallbox 11 kWh) / 37 min (DC 150 kW, 10-80%)
Nota do Inmetro: A*
Classificação na categoria: A (SUV Médio)*
*estimadas



Fonte: Motor Show