Avaliação: Renault Captur 2022 com motor 1.3 turbo é um mundo novo

0
61


Renault Captur Turbo
Foto: Marcelo Machado de Melo/Renault

A primeira aparição do Renault Captur Concept ocorreu no Salão de Genebra de 2011 e a comercialização do modelo de produção iniciou no mercado europeu após dois anos – os russos o receberam, em 2016, com a grafia Kaptur ao invés do nome escrito com a letra “C”.

+ Novo Renault Duster estreia na Argentina com motor 1.3 turbo e tração 4×4
+ Comparativos históricos (2011): Renault Sandero Stepway vs. VW CrossFox
+ Confira as versões e preços do Renault Captur 2022
+ Teste Rápido: 100% elétrico, Renault Zoe está mais rápido e bonito

Em nosso mercado, o SUV “primo” do Renault Duster debutou em 2017 e, ao longo dos anos, ofertou motores 1.6 e 2.0 naturalmente aspirados. O primeiro, casado aos câmbios manual de cinco marchas ou continuamente variável (CVT) de seis velocidades simuladas ao passo que o 2-litros empregava uma transmissão automática de quatro.

Inegavelmente, o espaço interno/volume do porta-malas junto da beleza do exterior sempre foram os pontos altos do Renault Captur, porém, a dirigibilidade estava apenas condizente à proposta. 

Motor TCe 1.3 flex e o mundo novo

Isso mudou na linha 2022 do Renault Captur (confira aqui as versões e equipamentos) após a estreia do propulsor de quatro cilindros 1.3 TCe (sigla para Turbo Control Efficiency). É uma unidade fruto da Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi em parceria com a Daimler e já presente sob o capô da nova geração do Mercedes-Benz GLA. A nova unidade turbinada está presente nas três configurações do Renault Captur 2022, com a gama formada pelas opções Zen (a partir de R$ 124.490), Intense (R$ 129.490) e a topo de linha Iconic (R$ 138.490).

De acordo com o fabricante, da junta do cabeçote para baixo está o trabalho da Renault-Nissan-Mitsubishi, enquanto da junta do cabeçote cima ficou sob o comando da Daimler.

Renault Captur Turbo
Foto: Marcelo Machado de Melo/Renault

Este motor 1.3 turbinado é produzido na Espanha e, entre as soluções de engenharia, aparecem a injeção direta com pressão de trabalho de 250 bar, o turbocompressor dotado de válvula wastegate controlada eletronicamente e o duplo comando de válvulas variável com atuadores elétricos. O cabeçote em formato de delta proporcionou um tamanho mais compacto reduzindo a massa/centro de gravidade/controle térmico e ainda possui o coletor de escape integrado.

Também vieram o tratamento para diminuir o atrito nos anéis, nos pinos dos pistões e no cabeçote, além da aplicação superficial de polímero para limitar o atrito do virabrequim-mancais contribuindo na maior durabilidade.

Os cilindros do bloco TCe receberam o BSC (Bore Spray Coating) permitindo uma troca térmica mais eficiente/redução do atrito com os anéis/pistões para proporcionar um melhor controle da pré-detonação. A calibração do sistema flex ficou sob responsabilidade dos engenheiros do RTA (Renault Tecnologia Américas) no Complexo Ayrton Senna, em São José dos Pinhais (PR).

Traduzindo: um Renault Captur melhor de andar!

Ao volante, o Renault Captur 2022 te fará esquecer do antecessor, seja equipado com o 1.6 (manual ou CVT ) ou o 2.0 AT4. E nosso primeiro contato foi a bordo da configuração topo de linha Iconic 1.3 CVT.

O SUV transformou da água para o vinho e, agora o 1.3 turbo associado a caixa continuamente variável (CVT) de oito marchas simuladas produz saudáveis 162 cv (gasolina)/170 cv de potência (etanol) e 24,7 kgfm de torque de 1.600 a 3.750 rpm, quando abastecido com qualquer um dos combustíveis.

Os números de desempenho do Renault Captur 1.6 CVT apontavam 116 cv (g)/120 cv (e) de potência com 16,2 kgfm de torque (g/e) à medida que o 2.0 AT4 disponibilizava 143 cv (g)/148 cv (e) e 20,2 kgfm (g)/20,9 kgfm (e).

Na prática, o SUV da Renault passou a oferecer uma dirigibilidade mais interessante frente o antigo por conta do bom torque disponível já a partir das baixas rotações. Um conjunto que agrada não só pelo desempenho, mas também pelo funcionamento suave e silencioso. O turbocompressor opera com 1,4 bar de pressão atribuindo força para vencer a imobilidade e assegurar rápidas respostas ao pedal do acelerador e ultrapassagens seguras na estrada.

+ Fiat Uno e Renault Sandero foram os carros 0 km que mais subiram de preço em abril, veja a lista
+ Renault mexe no prazo de revisão de seus carros; veja o que muda
+ Veja 5 sedãs compactos seminovos com preço de Renault Kwid 0 km
+ Avaliação: novo Renault Sandero Stepway dá salto evolutivo; torça para vir ao Brasil

Em grande parte do tempo, é possível rodar abaixo das 2.000 rpm contribuindo no silêncio acústico e no consumo. Aliás, de acordo com o Inmetro, o Renault Captur 2022 entrega médias de 12 km/l (estrada) e de 11,1 km/l (cidade) bebendo gasolina, e de 8,3 km/l e 7,5 km/l, na ordem, rodando com o combustível vegetal no tanque.

Para comparar, o Renault Captur 2.0 AT4 cravava um consumo no etanol de 6,2 km/l (cidade) e de 7,3 km/l (estrada), enquanto na gasolina de 8,8 km/l e de 10,8 km/l, respectivamente.

Durante nossa avaliação rodoviária, o computador de bordo do SUV da Renault informou médias superiores aos 14 km/l dirigindo com pé leve no pedal do acelerador e a função ECO ativada. Para quem deseja um toque a mais de esportividade pode mudar as marchas sequencialmente pela alavanca do câmbio e não há as práticas borboletas atrás do volante. Contudo, há o Start-Stop, que desliga o propulsor durante breves paradas, como nos semáforos, para ajudar a reduzir o consumo e a emissão de poluentes.

As suspensões cumprem a função de levar conforto aos até cinco ocupantes e agradam pela maciez e o bom controle de carroceria sem deixar a carroceria rolar além da conta nas curvas da Estrada dos Romeiros (SP) contornadas mais rapidamente.

Foto: Divulgação

A nova caixa de direção elétrica está mais direta e de batente a batente são necessárias três voltas – eram 3,3 voltas no modelo antigo. Outra boa novidade está na coluna que passou a ser regulável tanto em altura quanto em profundidade. E o raio de giro de 10,9 m (antes, de 10,7 m) ajuda na tarefa de manobrar em locais apertados.

As rodas de liga leve de 17” calçam pneus Michelin Primacy 4 de medidas 215/60. E ponto positivo também para os novos freios, compostos por discos ventilados no eixo dianteiro e tambor no traseiro – como é no Chevrolet Tracker, no Nissan Kicks e no Citroën C4 Cactus aspiradoAlguns consumidores podem reclamar, mas a verdade é que eles estão bem dimensionados para o desempenho e o peso de 1.366 kg desta versão Iconic CVT – o 2.0 AT4 tinha 1.352 kg, o 1.6 manual (1.273kg) e o 1.6 CVT (1.286 kg).

Visual e cabine mudados

Como falamos anteriormente, a beleza é um dos atrativos do Renault Captur. E a linha 2022 evidenciou essa qualidade. A porção dianteira trouxe a grade do radiador mais larga e dotada de elementos cromados, os faróis Full-LED, enquanto o para-choque revisto passou a exibir as luzes de circulação diurna (DRL) em formato de “C” e as luzes de neblina também em LED. Ainda aparece um novo ski frontal com entradas de ar, porém, o ângulo de ataque do SUV diminuiu de 23º para 19º. Mesmo assim, ele não enrosca ao transpor valetas/lombadas. Apesar da renovação estética o visual não seguiu o do Captur à venda no mercado europeu e traseira trouxe apenas um novo arranjo interno da lanterna.

De para-choque a para-choque o Renault Captur 2022 mede 4,379 m de comprimento (4,329 m no antecessor), 1,813 m de largura, 1,619 m de altura e 2.673 m de entre-eixos, o que garante bom espaço para as pernas/joelhos de quem viaja atrás. O porta-malas é de 437 litros – o do “primo” Renault Duster 1.6 de 475 litros.

Ao abrir a porta, o interior está renovado trazendo destaques na percepção de qualidade e no acabamento da cabine em duas cores. Embora haja uma grande utilização de plásticos duros nas laterais de portas e no painel.

O multimídia de 8” substituiu o antigo de 7” oferecendo conectividade Android Auto/Apple CarPlay, mas que requer a utilização de cabos ao contrário do Chevrolet Tracker, por exemplo. A pureza sonora é mérito do renomado áudio da Bose, composto por seis altos falantes mais subwoofer (falante de graves) no compartimento de bagagens e amplificador digital.

A ergonomia melhorou trazendo a nova posição dos botões Eco e do controlador/limitador de velocidade, assim como ganhou o apoio de braço integrado no console redesenhado e com porta-copos. Quem viaja atrás ainda encontra duas novas tomadas USB para realizar o carregamento de gadgets. Outra comodidade aparece na partida remota com climatização.

Renault Captur Turbo
Quem viaja atrás encontra duas tomadas USB para realizar o carregamento de gadgets (Foto: Marcelo Machado de Melo/Renault)

A segurança foi evidenciada pela inclusão do alerta de pontos cegos e o sistema Multiview, que utiliza quatro câmeras ao redor do veículo (dianteira, traseira e nas laterais). Há também os controles eletrônicos de tração/estabilidade, assistente de partida em rampas, além de quatro airbags (como no Sandero e no Kwid) e dois pontos de isofix para fixação de bancos infantis. Apesar disso, o Renault Captur 2022 não oferece os assistente de direção semiautônomos. Uma pena!

Mesmo assim, fato é que a vinda do motor 1.3 turbo junto do câmbio CVT de oito marchas simuladas fez muito bem ao Renault Captur 2022.


FICHA TÉCNICA

RENAULT CAPTUR ICONIC 1.3 TURBO 2022
Preço inicial: R$ 124.490 (versão Zen) 
Carro avaliado: R$ 138.490 

Renault Captur Iconic 1.3 turbo 2022

Motor: quatro cilindros em linha 1.3, 16V, duplo comando variável, injeção direta, turbo, start-stop
Cilindrada: 1332 cm³
Combustível: flex
Potência: 162 cv (g)/170 cv (e) de 5.500 rpm a 6.000 rpm
Torque: 27,5 kgfm (g/e) entre 1.600 e 3.750 rpm
Câmbio: automático cont. variável (CVT), oito marchas simuladas
Direção: elétrica
Suspensões: MacPherson (d) e eixo de torção (t)
Freios: disco ventilado (d) e tambor (t)
Tração: dianteira
Dimensões: 4,379 m (c), 1,813 m (l), 1,619 m (a)
Entre-eixos: 2,673 m
Pneus: 215/60 R17
Porta-malas: 437 litros
Tanque: 50 litros
Peso: 1.366 kg
0-100 km/h: 9,5 segundos (g) e 9,2  segundos (e)
Velocidade máxima: 190 km/h (g/e)
Consumo cidade:  11,1 km/l (g) e 7,5 km/l (e)
Consumo estrada: 12 km/l (g) e 8,3 km/l (e)
Nota do Inmetro: C*
Classificação na categoria: A
*estimado

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus “o besouro indestrutível”
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel





Fonte: Motor Show