Boavista consegue liminar favorável e joga decisão da vaga na final, em casa, no Domingo

38

Voltaço e Boavista se enfrentam nesse domingo (16/02), pela semifinal da Taça Guanabara. O Boavista acionou o TJD-RJ, através de uma Medida Inominada com pedido liminar, para que a partida seja realizada no Estádio Elcyr Resende de Mendonça, em Bacaxá. O Regulamento do Campeonato Carioca prevê que, neste cenário, a praça desportiva tenha capacidade mínima de 5 mil torcedores, diferente do que aponta o laudo dos Bombeiros para o Elcyrzão. A solicitação do clube de Saquarema foi deferida pelo Tribunal.

O artigo 38, c, VII do Regulamento, fala que as semifinais e finais de turnos devem ser realizadas em estádios com capacidade mínima de 5 mil torcedores, no caso de cruzamento entre clubes que não sejam Vasco, Fluminense, Botafogo ou Flamengo. Porém, conforme aponta o Laudo de Prevenção de Combate a Incêndio emitido pelo Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro, em 8 de janeiro de 2020, o Estádio Elcyr Resende de Mendonça, em Bacaxá, e onde o Boavista deseja mandar o jogo, autoriza a presença de 4.315 torcedores, o que, legalmente, impossibilitaria o clube de escolher o local para a decisão.

– É importante deixar claro que o requerente não pretende se opor ao regulamento em si, este soberano por representar a vontade de todos os clubes participantes da competição, mas sim, a premissa pela qual este dispositivo foi elaborado, pois ela é absolutamente equivocada, não razoável e injusta – escreveu o advogado Luis Felipe Pereira de Sousa Teixeira na medida cautelar, apontando os motivos que fazem o clube considerar injusto o dispositivo:

– Média histórica baixa, nunca ultrapassado o número de 619 presentes;

– Diferença pequena de número apontado pelo regulamento daquele autorizado no LPCI (685);

– Direito adquirido em campo de mandar a partida;

– Estádio já ter recebido, no mesmo ano e competição, visitantes como Fluminense, Vasco e o próprio Volta Redonda, sem qualquer problema;

– Desvantagem desportiva, por ter tido a melhor campanha do Grupo A;

– Aluguel de outro estádio, gerando um custo financeiro que pode chegar até R$ 423 mil.

O clube já protocolou junto ao Corpo de Bombeiros o pedido de revisão do número de torcedores para os 5 mil exigidos no Regulamento. Boavista teria até o meio dia da quarta-feira (12/02) para apresentar o local escolhido para realização da partida e, diante do risco de não obter uma reconsideração dos Bombeiros, entrou com esse pedido de liminar, que foi atendida pelo TJD-RJ.

– De fato, as circunstâncias específicas da partida que será realizada entre o Boavista e o Volta Redonda fazem saltar aos olhos a impropriedade da exigência, já que a chance de terem mais que dois mil torcedores dentro da arena é remotíssima, para não dizer impossível. Sendo assim, concedo a liminar requerida, por entender que seu indeferimento irá causar prejuízo irreparável ao requerente, além da presença dos requisitos legais contidos no artigo 119 do CBJD, devendo a Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro tomar as medidas necessárias, inclusive aquelas que ultrapassem a competência desta ordem, através de seu Departamento de Competições para que a partida objeto do pedido seja realizada no Estádio Elcyr Resende de Mendonça – atendeu o presidente Marcelo Jucá em caráter liminar, sem esgotamento das razões de mérito, uma vez que a análise do matéria deverá ser feita por um colegiado, em julgamento.

RODADA DUPLA COM DIREITO A ÁRBITRO DE VÍDEO

Por conta disso, a FFERJ divulgou, através de Resolução da Diretoria, que haverá “Rodada Dupla” nesse próximo no Elcyr Resende. Às 16h, Boavista e Volta Redonda se enfrentam pela semifinal da Taça Guanabara. Posteriormente, às 19h30min, Americano e América medirão forças, pela penúltima rodada do Grupo X. Ambas as partidas contarão com a utilização da tecnologia do Árbitro de Vídeo (VAR).

©Plantão dos Lagos
Fonte: NF Notícias / Diário do Vale
Fotos: divulgação